15.8.04

O Pinheiro do Marco


Fotografia do livro Árvores Monumentais de Portugal.
«É uma árvore muito velha com mais de 300 anos, e que serve de extrema entre três herdades, e por essa razão se denomina o Pinheiro do Marco.»

Com uma copa de 33 metros de diâmetro (em 1986) , este pinheiro, que segundo Ernesto Goes deveria «ser o maior do Baixo-Alentejo», foi o objecto de uma autêntica caça ao tesouro no verão do ano passado. Mas tinham sido tantas as paragens pelo caminho, de pinheiros em oliveiras, e de azinheiras em sobreiros, que a chegada à zona de Grândola se fez já perto do entardecer, o que não ajudou nada à descoberta.

Estradinhas secundárias, pinhais a perder de vista; pinheiros mais altos uns que os outros, mas do portentoso pinheiro do Marco, nada! As indicaçõe eram no entanto precisas: estava situado «... na extrema nascente da Herdade da Freixera, próximo da estrada de Alcácer do Sal a Grândola, a 6 Km desta vila.»
Ah! Mas isso era dantes! Agora, o maior entrave é a larga auto-estrada (mal nós imaginávamos...) que passa a um nível mais baixo e corta a meio a vasta extensão de pinhal, impossibilitanto que se procurasse no "outro lado". Finalmente, com a aproximação do lusco-fusco, e depois de termos contornado e cruzado várias vezes as herdades, adiámos a investigação para uma próxima vez.

Voltámos à estrada nacional, depois à auto-estrada, e, quando passávamos justamente na zona por onde tínhamos andado, qual não foi o nosso espanto... avistámos um enorme pinheiro, num canteiro triangular na berma da auto-estrada, no local onde há uma saída para Beja, na via contrária àquela que percorríamos. Nem queríamos acreditar! «-Olha o pinheiro! Olha o pinheiro!... é aquele, é aquele!...» Com semelhante altura (mais alto do que todos que até então avistáramos) só podia ser ele. E entretanto ficava para trás, cada vez mais para trás, pois, devido ao trânsito, foi impossível parar!

Não tenho nenhuma imagem, nem pude comprovar que se trata realmente do pinheiro do Marco referido por Ernesto Goes. (Há uma localidade chamada Pinheiro do Marco, que fica perto de Alcochete, mas não tem nada a ver com este pinheiro). Fica ao quilómetro 105 , sentido Norte-Sul ou 135, + ou -, no sentido contrário, e este ano vou lá confirmar a sua identidade, fotografá-lo e prestar as minhas homenagens. Pois, mesmo que não se trate «do maior pinheiro manso do Baixo-Alentejo», é uma senhora árvore ingloriamente condenada àquele cenário inóspito; e que, apesar de incrivelmente sobrevivente às obras da auto-estrada, causa dó.

Triste actualização-16 de Agosto de 2004
Confirma-se que o pinheiro avistado em 2003 era na verdade o grande pinheiro do Marco, mas infelizmente a árvore já não existe. Segundo informações recolhidas no local, há cerca de três meses caiu-lhe uma das pernadas e ficou em tão mau estado que teve que ser abatida.

2 comentários :

Anónimo disse...

Só para informar que este pinheiro já não existe.

manueladlramos disse...

Pois não existe. Pelo menos desde meados de 2004, como se pode ler no "post".