14.11.04

O espírito do lugar


Foto: pva 0411 - Vidago

«Há lugares que sabem expor com prodigiosa habilidade o seu espírito. Sentimos neles uma ternura, um afago de colo. Sem darmos conta, emaranhamo-nos nos seus capilares sediosos. E quanto mais nos tentamos afastar, mais os sentimos esponjados e a nós tomados. Se os víssemos ao contrário, descobriríamos nestes lugares o trabalho de aranha e no seu encantamento, uma injecção dos venenos.

Vidago é um desses lugares. Para lá chegar, indo do Sul, tem que se subir muito. Passar por Samardã. Por Camilo. Pelos lobos. Por pedregulhos, tojos e urzes. Depois vão surgindo os pinheirais, cada vez mais densos. De dentro do seu verde espesso elevam-se plátanos gigantescos. Nunca vi outros maiores. Um comboio fumegante, pequenino como nas histórias, chegava sempre atrasado, e quase piedoso, a este lugar. Uma pequena estação sufocada pelo arvoredo recolhia-o logo, abrindo-se depois para as alamedas dos grandes plátanos. Nas suas altas copas escorriam longamente os primeiros dias de Outono. A luz amarelada dos globos acendia-se antes do tempo. (...)

Mas também estes lugares são atacados pela morte. Primeiro, interrompeu-se o curso dos comboios. Os pinheirais arderam neste Verão. O Tâmega "apareceu" poluído. (...) O vento desce agora, impiedoso, da serra. Rodopiam pelo chão as folhas secas das tílias e dos plátanos. A fuligem recobre a estação abandonada. (...)

Com o tempo, resta aos lugares instalarem-se dentro de nós. E crescerem desmesuradamente com os dias. Nós é que os protegemos. Eles servem para representar a nossa história.»

Manuel Hermínio Monteiro, In O Independente (1990)

5 comentários :

Pedro disse...

Olá!
Coloquei o vosso blogue na minha lista. Façam uma visita ao Portuense. São bem vindos!
Pedro

manueladlramos disse...

Viva! Muito obrigada pelo interesse e pelo convite! ;-)

Anónimo disse...

"O espírito do lugar": a expressão é-me familiar... Depois de pensar um pouco, lembrei-me de onde a encontrei pela primeira vez:

"Every continent has its own great spirit of place. Every people is polarised in some particular locality, which is home, the homeland. Different places on the face of the earth have different vital effluence, different vibration, different chemical exhalation, different polarity with different stars: call it what you like. But the spirit of place is a great reality."

D. H. Lawrence, "The Spirit of Place," Selected Literary Criticism, ed. Anthony Beal (NY: The Viking Press, 1956) 301.

E obrigada pela belíssima entrada e respectiva fotografia. Aproveito para deixar um abraço à minha amiga MDLR. :)
DK

manueladlramos disse...

Neste momento "I'm beaming"... Se é que posso dizer isto. O meu sorriso ultrapassa as bochechas (aliás estreitas pois nunca fui verdadeiramente uma man-yue) e estende-se de um lado ao outro do quarto! Que bom é ler-te! Abraço DK-san ;-)) Please come back.

Paulo Araújo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.