11.12.04

Pinheiro - Cancioneiro popular

..
Quem tem pinheiros tem pinhas
Quem tem pinhas tem pinhões
Quem tem amores tem zelos,
Quem tem zelos tem paixões.
...
Outrora para te ver,
saltava sete pinhais,
Agora p'ra te não ver
Inda me vês saltar mais.
..
in Cancioneiro de Entre Douro e Mondego,
de Arlindo de Sousa (Livraria Bertrand, 1944)

..

5 comentários :

JR disse...

Epá, vós desculpai-me... mas eu não pude deixar de dar uma sonora gargalhada. Tá genial... simplesmente genial. É literalmente dakelas coisas ke nós nem vemos a vir na nossa direcção.

manueladlramos disse...

http://www.photoblog.be/photoblog.php?nickname=orpheu&action=view&id=918040

Paulo Araújo disse...

Que afinal o que importa é pôr ao alto a gola do peludo
à saída da pastelaria, e lá fora - ah, lá fora! - rir de tudo

No riso admirável de quem sabe e gosta
ter lavados e muitos dentes brancos à mostra

Mario Cesariny, Pastelaria (in Nobilíssima Visão)

António Viriato disse...

Bonitas quadras, estas. Há imensas nos variados Cancioneiros Populares de Portugal e não nos inibamos de as divulgar, só porque alguns ditos intelectuais as qualificam de poesia menor. O próprio Pessoa nos deixou dezenas delas e algumas notáveis. O Aleixo, mesmo sem estudos, fazia-as exemplares de ritmo, melodia e significado e muitos outros poetas populares cultivaram esta arte tipicamente portuguesa. Vivam pois as quadras populares.

Anónimo disse...

A que saberá uma mão cheia de paixões? Uma cheia de pinhões já eu sei ao que sabe.