13.2.05

Mural


Foto: pva 0502 - muro no Jardim Botânico de Coimbra

Não gosto da hera, que rasteja furtivamente e abraça de morte as árvores. A hera é um parasita que vive do abandono. Aguarda a sua oportunidade para cobrir com um manto sufocante jardins que foram coloridos e opulentos. Rompe paredes e cresce mesmo dentro das casas, indiferente à penumbra: há hera a espreitar, qual babugem verde, por detrás das janelas de prédios arruinados.

A aguarela que as trepadeiras compõem neste muro é ameaçadora, porque nela se mistura a cor da hera (Hedera helix); mas outras cores amenizam o conjunto, como a da Ficus pumila no canto inferior direito e uma pincelada vermelha que não sei identificar.

Sem comentários :