5.5.05

Portugal a voo de pássaro


«Se eu sair daqui e andar sempre a direito, por montes e vales e estradas, a voo de pássaro, até ao mar, o que encontro é um retrato de Portugal bem triste e sinistro, que se agrava todos os dias, numa obra de destruição em que muitos portugueses estão activamente empenhados, perante a complacência e colaboração activa do Estado e das autarquias, em nome de um "progresso" que pouco mais significa que dinheiro, egoísmo e vistas curtas.»
por José Pacheco Pereira
Ler texto completo em Vistas na Paisagem
. ...

1 comentário :

Joao Soares disse...

Se os empreiteiros reflectissem um pouco (e não é pedir muito....) se estas casas que estou a construiur fossem para os meus filhos e netos, estarei a pensar se têm um jardim onde eles possam crescer, uma horta onde eles possam cultivar os seus produtos, um infantário próximo onde eles crescer, um centro de saúde eficiente, rios despoluídos, saneamento básico, etc, não estaira a ser um EMPREITEIRO verdadeiramente empreendedor e não apenas ganancioso e a contribuir para o estrago?
E será necessário construir?Não haverá nada para recuperar?
http://bioterra.blogspot.com