2.10.05

À sombra de sequóias e plátanos

.

À sombra de sequóias e plátanos centenários no Parque de Vizela - outubro 2004

(Anteriores sobre este Parque: Essa alegria só prometida às aves (*) ; O Parque de Vizela 120 anos depois ; Vizela em 1886 )

5 comentários :

Luis Villas disse...

Assim tá bem.
Um passeio pela fresca na envolvente desta verdura, revitalece seguramente.
Boa Semana!

*Rita* disse...

Pois é, frescura é que não falta neste parque.
Lembro-me das últimas vezes que lá fui em criança, estava ainda o parque aberto ao público, mas já mostrava os primeiros sinais de abandono e degradação.
Lembro-me vagamente de um "concerto" infantil com um grupo famoso da altura da criançada: ?Ana Faria e os queijinhos frescos?. Mas não me lembro de mais nada, as únicas recordações que tenho é de ouvir o meu pai dizer: "Eu tomei banho ali em baixo, a água corria limpinha..." e custa a acreditar que o meu pai aponta para um rio que neste momento corre poluído e sem vida...
Felizmente, nos próximos 25 anos o Parque das Termas fica sob a responsabilidade da Câmara Municipal de Vizela que poderá requalificar aquele espaço com a dignidade que merece.
Apesar de viver em Guimarães, de vez em quando dou um pulinho a Vizela para ver a minha avó. E só em 2004 é que voltei a entrar no parque. Depois de lá ter estado em Novembro de 2004, voltei lá em Agosto deste ano e já detectei grandes modificações. O espaço agora está limpo, algumas árvores foram plantadas, um antigo bar foi demolido devido ao seu avançado estado de degradação e de imediato foram iniciados os trabalhos para um novo chalé idêntico ao que existia e que foi devorado por um incêndio no início da década de 80.
Já lhe chamam o ?parque da cidade?, parque de uma cidade recente, parque com idade suficiente para impor respeito. Um oásis no meio de uma paisagem muito diversificada e densamente pressionada pela ?febre da construção? que apesar de tudo resistiu.

Eu mando algumas fotos para o vosso e-mail.
*Rita*

Zica Cabral disse...

a fotografia está linda e fez-me saudades da "minha" sequoia, agora ardida mas ainda não morta.
Fiz uma montagem (bastante mázinha diga-se em abono da verdade) que pus no meu blog http://jardinseflores.blogspot.com
da "minha sequoia" ardida onde passei tantas horas felizes na minha infancia

Zica Cabral disse...

não sei se a viu no meu blog. A Sequoia fica e fica porque ainda la está, numa mata chamada "A Corujeira" em Paços da Serra, na Serra da Estrela. É uma aldeiazinha entre Seia e Gouveia onde a minha familia tem propriedades vidas de há muitas muitas gerações.
Foi plantada pelo meu bisavô que, apesar de ser médico,gostava ismenos de jardins, arvores e plantas. Tambem plantou algumas no parque da Pena em Sintra mas creio que morreram todas. Em paços e na Corujeira plantou mais do que uma mas as outras morreram e so ficou esta que ainda é bébé...tem 150 anos mais ou menos

manueladlramos disse...

Sim, já lá fui ver a sequóia! Que pena ter ardido, e a mata! Mas pode ser que recupere, pelo que disse há uma certa esperança. Por favor depois conte-nos!