12.11.05

Cancioneiro popular -castanheiro

.

A folha do castinheiro
Rendilhada como a renda...
Diga-me, ó minha menina,
P'ra quem anda de encomenda?
(S. Tomé de Covelas, c. de Baião) II-339

Prometi-te uma castanha,
Se a der o castinheiro;
Prometi-te de ser tua,
Não vindo outro primeiro.
(Lajeosa do Mondego, c. de Celorico da Beira) II-367

(in José Leite de Vasconcelos, Cancioneiro Popular Português. Coimbra : Universidade, 1975)

1 comentário :

António Viriato disse...

Cara Manuela e demais amigos,

Não sei que mais elogiar, se as quadras de uma ternura singular, se as fotografias de uma beleza sem par.

Confesso que não tencionava fazer rima ! Grande poeta é o Povo ...

Saudações festivas aqui do Sul ou não viéssemos do S. Martinho !