6.11.05

Sintonia


Foto: pva 0510 - Jardim Botânico de Coimbra

Tarde triste.
É o Outono doente que começa.
Cada folha parece que tem pressa
De morrer.
Madura e fatigada, a natureza,
Roída por não sei que súbita incerteza,
Até nos frutos quer apodrecer.

E há um desalento igual dentro de mim.
Uma renúncia assim
Calada e conformada.
Perdi o gosto verde de cantar,
A emoção vem à tona e degenera,
Infecunda, a negar
As muitas flores que dei na Primavera.

Miguel Torga, Diário XIV, 1984

3 comentários :

indi disse...

"...O planeta reservou certos lugares só para ele...nestes lugares, sem os milhões de formas de vida que caminham pela superfície, a terra consegue ficar sózinha. Também ela precisa de solidão, pois procura entender-se a si mesma..."
(Paulo Coelho)

claudia disse...

Realmente, houve pura sintonia entre os versos e a foto...
Mesmo sendo triste, as árvores no outono são belas, sempre serão..Ainda mais quando contarem com a sensibilidade de um bom fotógrafo!

Anónimo disse...

como se chama o poema? É mesmo tarde triste? Ou não tem título?