7.12.05

Fonte de saúde



Fotos: pva 05

Com a configuração e tamanho semelhantes aos do damasco mas com pecíolo muito longo, casca acastanhada e pilosa, e polpa esverdeada, saborosa e perfumada, pontilhada por numerosas sementes escuras que parecem irradiar de um centro branco, o quivi conquistou o paladar português nas duas últimas décadas do século passado. Por essa altura, ainda o país teria ilusões sobre a sua vocação agrícola, iniciaram-se plantações promissoras de Actinidia deliciosa no país, mas hoje é raro encontrar nas frutarias quivi português. O mercado é dominado pelo quivi italiano, apesar do seu cultivo fora da região de origem - a Ásia Oriental - se ter iniciado, no começo do século XX, na Nova Zelândia (a partir de 3 exemplares desta espécie dióica), interessado depois a Inglaterra e a França e só nos anos 70 a Itália, hoje o maior produtor.

Esta planta é um arbusto trepador vigoroso, que pode atingir os 10 m de altura e formar coberturas densas como a da foto em cima numa das pérgolas do jardim da Viscondessa de Lobão, no Porto. Tem folhas alternadas, cordiformes e ásperas; os frutos amadurecem no início do Outono e são uma mina de vitamina C, que é resguardada do calor e da luz pela casca robusta e escura e a clorofila da polpa. Acompanham-na quantidades generosas de cálcio, ferro, fósforo, potássio, fibra, antioxidantes e uma proteinase, a actinidina (por isso não é conveniente usá-lo em sobremesas com derivados de leite, embora seja frequente ver nas montras das confeitarias fatias de quivi a decorar bolos revestidos com natas). A família Actinidiaceae conta com mais de 40 espécies, algumas ornamentais como a A. kolomikta cujas folhas se pintalgam de cor-de-rosa prateado antes de cairem e cujas flores se assemelham às da Camellia sinensis.

Numa estratégia comercial bem sucedida, a designação chinesa comum do fruto entrou em desuso sendo substituída pelo termo kiwi, o nome maori de um pássaro de penugem castanha, pequenino, ovóide como uma baga e com um grande bico, que é emblema da Nova Zelândia. Actinidia deriva do grego actinídion, com origem em aktís, raio luminoso.

6 comentários :

ze-da-esquina disse...

Só por curiosidade:

Li, já lá vai bom tempo, que o nome comum do kiwi era "groselha-da-china", quando começou a divulgar-se. Esses eram tempos em que América e China andavam de candeias iremediavelmente às avessas. O elemento "china", posto em fruto saboroso e a expandir-se, ainda por cima a crair cootações com um país que, no Ocidente, tinha legiões de ardentes admiradores, causaria engulhos do tamnaho ... da China. Vai daí ... O resto adivinha-se.

É verdade? É mentira? Não sei. A fonte, pelo que era, parece-me que não mentiria: a "Rider's Digest".

Teófilo M. disse...

Por mais estranho que pareça, os mais saborosos e doces chegam-me de Francelos, duma propriedade do pai da Ju.

Groselhas da China foi o nome original deste fruto, até mesmo por cá, ou então actinídeas.

manueladlramos disse...

Pois eu costumo comer os kiwi produzidos pelo meu pai, no seu quintalzito, aqui no Porto. ;-)

phylos disse...

Aqui no Brasil come-se o kiwi de vários modos: sucos, compotas, e pratos salgados também.
É uma frutinha deliciosa, além de linda. Como só Deus soube criar.

Carla de Elsinore disse...

Há uns bons 5 anos que não dispenso o meu kiwi diário (e quando não o faço, é um problema). infelizmente não tenho a sorte de alguns de vós. os meus vêm mesmo do supermercado e, de facto, quase nunca são portugueses.

Anónimo disse...

Ignorancia à parte... será quem alguém me pode esclarcer quanto ao nome vulgar dado à planta q dá os kiwis?