26.12.05

O Pinheiro, o Pai Natal, a Estrela...

.

Rua de Miragaia- Porto
Há fotografias que se podem falhar por uma questão de segundos... A do lado esquerdo é um desses casos. Vinha eu de autocarro em direcção à Foz, e à luz que se arredava da Baixa, quando passei por este pinheirinho com as suas bolas multicolores reluzindo ao sol. Apeei-me na paragem seguinte - privilégio de quem está em férias...-mas por mais que me apressasse só cheguei a tempo de surpreender o Pai Natal e a Estrela fora da sombra.

Esta árvore de Natal fez-me recordar a da minha infância, em casa dos meus avós: um pequeno pinheiro que traziam de uma das bouça das redondezas para o canto da sala e que no primeiro dias de férias enfeitávamos com bolas frágeis de todas as cores, fios brilhantes, algodão a imitar neve e uma estrela no cimo. Por tradição, durava sempre até aos Reis.
Mas afinal por que razão fazemos nós a Árvore de Natal?

(E por falar em árvore de Natal, conhecem esta?)

2 comentários :

Rivera disse...

ai ai, que bom que era o natal noutros tempos...!! Hoje também não concordo que se ande para ai a cortar pinheiros só pra ter em casa no natal, mas quando eu era miúda e não tinha essas preocupações era tão bom ir cortar um pinheirinho, que tinha de ser sempre o mais bonito de todos :) bons tempos...

Maria Celeste Ramos disse...

Dias com Árvores: Último poema

É excelente o vosso blog
Nos textos - nos oportunos e belos poemas

Nas magníficas imagens de árvores esplendorosas que não há "cá em baixo" - como afinal "manda", essencialmente, o sistema edafo-climático

Nas notícias comentadas com rigor e crítica q.b.

parabéns
maria celeste