23.2.06

"Cantar de Amigo"

.
À beira do rio fui dançar... Dançando
Me estava entretendo,
Muito a sós comigo,
Ouando na outra margem, como se escondendo
Para que eu não visse que me estava olhando,
Por entre os salgueiros vi o meu amigo.

Vi o meu amigo cujos olhos tristes
Certo se alegravam
De me ver dançar.
Fui largando as roupas que me embaraçavam,
Fui soltando as tranças... Olhos que me vistes,
Doces olhos tristes, não no ireis contar!
Que o amor é lume bem eu sei... que logo
Que vi meu amigo
Por entre os salgueiros ,
Melhor eu dançava, já não só comigo
Toda num quebranto, ao mesmo tempo em fogo,
Melhor eu movia mãos e pés ligeiros.

Que Deus me perdoe, que os seus olhos tristes
Assim ofertava
Minha formosura!
Se não fora o rio que nos separava,
Cruel com nós ambos, olhos que me vistes,
Nem eu me amostrara tão de mim segura.

José Régio, Música Ligeira (1970) Portugália Editora

3 comentários :

AF disse...

Parabéns pleo blog, vou voltar. Abraço.

NINHO DE CUCO disse...

É uma viagem maravilhosa deambular por este blogue e prender-nos aqui e além na sua poesia.

O SILÊNCIO CULPADO disse...

Este cantar de amigo reporta-me a um passado, talvez já longínquo, em que me revia em situações como a aqui descrita. Adorei este blogue sensível, poético e culto.