18.9.06

Sem regresso

.

Algures entre a Guia e Vale de Parra (Agosto 2005)
A esta escolinha primária, já há uns anos que nenhuma criança regressa às aulas...
Mas ainda vai havendo quem cuide do campo circundante para poder apanhar amêndoa, colher uva. Gente envelhecida e crestada como as vinhas que o sol queimou.
.

6 comentários :

António Baeta disse...

Ternura e respeito teus, Manuela.
Bem hajas!
De um algarvio que tem visto o turismo tudo invadir, como uma monocultura que não deixa espaço para o futuro, e o campo abandonado pela incúria e pela política agrícola.
Dessa escola ao centro de Albufeira distam poucos, muito poucos, quilómetros.

Anónimo disse...

Gosto do vosso bom gosto. Parabéns!!
Vamos entrar no Outono...e que tal uma incursão (de bom gosto) pela micologia?
Continuem!...eu continuo leitor fel. Obrigado!

aldina disse...

Para os que nos lembram que "com a paciência da terra" ( como diz um verso de Miguel Torga) resistem as árvores companhia de quem as ama, porque "mais do que amor é amar" (outro verso de Kavafis que dá o título a um CD de Carlos do Carmo)muito obrigada, porque quem cuida da terra cuida de toda a humanidade!

bettips disse...

Pois que tudo assim se repete por este país, abandono e sem crianças... Se não fossem os velhos e o seu amor, teimosos na sua mesura à terra, ajeitando-a, aconchegando hastes, enredando vinhas... E tb os olhos que passam e fixam para sempre a poesia desses cantos mágicos. Abç

Rosa dos Ventos disse...

Gente que talvez não saiba ler mas tem a sabedoria entranhada em todos os seus poros.

Rosa dos Ventos disse...

Gente que talvez não saiba ler mas tem a sabedoria entranhada em todos os poros!