1.2.07

Parsifal

melrofoto e texto © MLR
Melro num tamariz

«Encontro-me com o melro às 7 e dez da manhã, na Avenida do Brasil. Desde há muitas semanas, espera-me sempre num galho descarnado que sobra, bem mais alto, dum arbusto, apontado ao mar. Ouço-o antes de o ver. Já tentei fotografá-lo, mas é ainda muito escuro. Trina como um profissional. Entremeia agudos e graves com toda a elegância e por vezes, como se lhe falhasse a voz, gorjeia como um meso-contralto. Mas está ali, mancha negra de bico amarelo, senhor do mar e das redondezas, cantando à beleza da vida, cabecita voltada para o céu como se apontasse uma estrela, no seu diálogo com o Criador. E eu julgo perceber o seu canto de alegria, de plenitude. Que está frio, muito frio e que ele só tem as penas negras do Inverno e o calor da sua voz. Que amanhã poderá estar mais frio ainda e que poderá partir para longe do mar em direcção à sua estrela, num começo de eternidade. Mas há-de continuar a gorjear o seu hino à beleza da vida, à alegria de estar vivo num dia belo como o de hoje sem se interrogar sobre esta banalidade do viver.

Isto foi há dias. Hoje ainda ia com esperança de voltar a encontrar-me com o meu Caruso pois tem falhado o nosso encontro. Temo que as últimas noites de zero graus lhe tenham calado o pio: penas negras em repouso com um traço amarelo num ninho escondido. Será a última fotografia dele que te envio ?»

7 comentários :

Anónimo disse...

Belíssimos fotografia e texto!
DS

Anónimo disse...

Que maravilha de fotografia!
Só a sensibilidade de um poeta/artista poderia proporcionar-nos um instantâneo como este. um conjunto fotografia/texto/oportunidade Com tanto significado, tão enternecedor!
A Natureza é o princípio e o fim de todas as coisas!

aldina disse...

Talvez tenha simplesmente encontrado um bom abrigo para se proteger, contudo, foi muito generoso na pose em perfeita para a fotografia, em plena harmoonia com a digníssima senhora árvore, que aqui encontrei com muito gosto, graças à boa vontade... obrigada!

Até sempre

Anónimo disse...

Lindo texto e fotografia. Quanto ao melro... Alguns passam o inverno em lugares tão gelados como a costa escandinava. Mesmo com zero graus, creio que deve andar mais preocupado com a comida que com o frio. Ele desenrasca-se: além de resistentes, são espertos... :-)

Anónimo disse...

Um dos melhores momentos que a internet me proporcionou ultimamente.
Obrigado

bettips disse...

Tinha deixado um espanto em comentário, foto e texto duma beleza muito especial. Ainda mais conhecendo o sítio. Abç

Manuela disse...

Boa notícia!
O MELRO TORNOU A SER VISTO E OUVIDO no mesmo local!