5.3.07

Loureiro-do-Japão


Aucuba japonica

Num extenso artigo no Jornal de Horticultura Prática de 1870, Jean Verschaffelt (Gand, Bélgica) faz um rasgado elogio à Aucuba japonica, arbusto semi-herbáceo de folhagem persistente, levemente serrilhada, brilhante e espessa, de belo efeito ornamental e fácil cultivo. É que os primeiros pés de aucuba a chegarem à Europa, por volta de 1790, eram todos femininos; e só em 1863, por mão de Robert Fortune, chegaram exemplares masculinos. A frutificação foi recebida com júbilo: magníficas bagas vermelhas que, «a não serem as folhas, se poderiam tomar por um açafate de cerejas.» Plantas de alguns centímetros de altura passaram então a vender-se pelo «preço exorbitante de 48$000 reis». Páginas adiante, no mesmo volume do jornal, ficamos a saber (em texto de Thos. Staley) que foi José Marques Loureiro quem importou para Portugal os primeiros pés masculinos de Aucuba japonica. A planta virou moda por cá nas últimas décadas do século XIX; e, dando-se bem em climas frios, é hoje abundante nos jardins do Porto.

O exemplar da foto com flores (A. japonica Variegata) é masculino. As plantas femininas carregam ainda alguns frutos e darão, daqui a pouco tempo, flores parecidas com as masculinas, mas sem as quatro pintinhas amarelas e em inflorescências menos vistosas. O género Aucuba conta com três espécies do Japão aos Himalaias, das quais algumas variedades produzem frutos brancos ou amarelos.

Sem comentários :