28.3.07

Árvores monumentais

No "freaky" Neatorama:
10 Most Magnificent Trees in the World (via Quinta do Sargaçal)
Na verdade são 10+2...:

  • Baobab
  • Bristlecone Pine: Methuselah and Prometheus, the Oldest Trees in the World >
  • Banyan Tree: Sri Maha Bodhi Tree >
  • Montezuma Cypress: The Tule Tree >
  • Quaking Aspen: Pando (The Trembling Giant)
  • Chapel-Oak of Allouville-Bellefosse >
  • Coast Redwood: Hyperion and Drive >
  • Thru Trees- Giant Sequoias: General Sherman >
  • Circus Trees
  • Lone Cypress in Monterey >
  • Tree That Owns Itself
  • The Lonely Tree of Ténéré >

2 comentários :

Alexandre Inácio disse...

Quando conheci o vosso blog, despertou-me a atenção a lista de árvores monumentais e classificadas, em Portugal, que por vós foi elaborada. Tomei atenção, igualmente, e através das vossas indicações, do procedimento necessário para candidatar uma árvore a Património de Interesse Público. Aconteceu-me, por acaso, em uma das minhas caminhadas, encontrar um castanheiro centenário monumental que julgo do interesse ambientalista e patrimonial. Elaborei um detalhado relatório (tenho alguma formação superior em Biologia) e enviei-o, junto com o requerimento formal, para a Direcção-Geral dos Recursos Florestais, sede em Lisboa. No site desta direcção-geral garantiam um resposta pronta no prazo de um mês. Já lá vão 5 meses desde a minha missiva. Não obtive qualquer resposta ou contacto. Venho perguntar-lhe, Manuela, e uma vez que sei que os autores deste blog têm familiaridade com este procedimento, se tal demora é "normal" e por quanto tempo terei que esperar por uma resposta ou pelos avaliadores da dita direcção-geral.

Escolhi-a a si, Manuela, para colocar esta questão, por dois motivos: partilhamos um mesmo sonho - "um bosque de bétulas e uma floresta de faias"; e porque foi a Manuela quem alertou para a proposta, tão urgente, do programa de levantamento das árvores monumentais do país, lançada pelo autor do blog "jardinando sem parar", julgo. Tenho uma paixão enorme pela Natureza, e um amor incondicional pelas árvores, e seria o primeiro a subscrever o programa. Daria o meu pequenino contributo com este castanheiro centenário esquecido, que descobri no último dos bosques que por aqui existem, sobrevivente aos infindáveis hectares de monocultura de eucalipto e fogos florestais de que a minha região padece particularmente. Escrevo-vos de Carvalhal de Pussos, aldeia do concelho de Alvaiázere, distrito de Leiria, no centro de Portugal. O castanheiro centenário, de que vos falo, tem um perímetro circunferencial máximo de 13 metros, encontra-se enquadrado num pequeno bosque de carvalhos (cerquinhos e alvarinhos) e outros castanheiros centenários, e situa-se junto da antiga estrada nacional EN 110, actualmente em transformação para IC3, que liga a cidade de Tomar a Coimbra. Desde já, estão convidados a visitá-lo, logo que passem por cá. Gostaria de vos enviar, também, algumas fotos, mas não conheço um vosso e-mail para onde o possa fazer.

Bem hajam por este magnífico blog, onde aprendo tantas coisas novas, e devido ao qual tenho vontade de conhecer o Porto (especialmente os jardins, claro).

manueladlramos disse...

Caro Alexandre tive imenso gosto em ler o seu comentário. É sempre agradável ficar a conhecer algumas das pessoas que costumam "passar" por aqui.
O castanheiro centenário de que fala é uma árvore de porte verdadeiramente invulgar! Da lista de castanheiros monumentais do Ernesto Goes (1984) apenas um ultrapassa os 13 metros de perímetro de tronco (a cerca de 1. 30 m. do solo)!

Que pena ainda não ter recebido nenhuma resposta. O melhor é telefonar para os serviços da DGRF. Nós entregamos o pedido directamente aqui no Porto nos serviços correspondentes do Ministério da Agricultura. A resposta oficial por escrito avisando que tinham recebido o pedido de classificação e que iam dar inicio ao processo demorou cerca de um mês. O processo de classificação em si, até à publicação no DR levou um ano. Tivemos sorte, talvez, apanhando um vento ou corrente à feição.... Soubemos de um processo de pedido de classificação anterior que ficou bastante tempo encalhado.
Mas não há nada como telefonar ;-)

Se puder não deixe então de nos mandar as fotografias. Para apreciarmos tão veneranda árvore enquanto não a conhecemos ao vivo (fica registado o convite para a visitar, mt ob. ) Pode enviá-las para o nosso mail particular (que encontra clicando nos nossos nomes no canto superior do blogue) ou então para o dias-com-arvores@sapo.pt

Muito obrigada pelas suas gentis palavras de apreço.