6.7.07

Xaile espanhol


Heterocentron elegans

Embora já raras, há ainda na cidade algumas ruas a que os anos e as requalificações não apagaram o estilo original. Exemplo agradável é o de alguns troços da Rua do Campo Alegre: ali as casas são espaçosas, mas sem ostentação, e as cercas têm grades que permitem espreitar os jardins, apreciar o colorido dos canteiros e adivinhar pelo aroma uma figueira ou uma magnólia nas traseiras. Nas que têm sebes ou muros baixos alguns arbustos lançam pernadas que espevitam a curiosidade de quem passa. O da foto, de ramagem espessa, mostrou também um par de flores e por isso está hoje no palco.

À primeira vista pareceu-nos uma quaresmeira pelas flores de tom magenta com estames como pestanas grandes, e pelas folhas penugentas. Mas no género Tibouchina as folhas são cordiformes, de margens lisas, muito mais sedosas e com três nervuras arqueadas desde o topo; e as flores têm em geral 5 pétalas. Contudo a família Melastomataceae abriga mais de duzentos géneros, bastava procurar bem...

Porque as flores têm um centro assimétrico com dois tipos de anteras (porção terminal do estame onde é produzido o pólen), cremos que se trata de um exemplar de Heterocentron elegans. Sendo assim, teve origem no México ou na América Central e manter-se-á em flor até ao fim do Verão.

3 comentários :

Arboretto disse...

Tenho voltado a este blog, sempre com matérias interessantes. De fato o Heterocentrum ou Schizocentrum elegans pequena mexicana, herbácea vigorosa, é tão semelhante às quaresmeiras que aqui no Brasil o nome popular é quaresmeira rasteira. Entretanto observando a foto que tenho de Schizocentrum é possível verificar uma diferença na forma ovada e nas nervurasdas folhas. Por curiosidade fui verificar na TROPICA, e me parece ser o Heterocentrum roseum, pág 647. Na época das chuvas postarei uma foto da quaresmeira rasteira. Abraços, Lucia.

Maria Carvalho disse...

Tem razão, Lucia, o Heterocentron roseum parece ter a folhagem mais parecida com a do arbusto que vimos. Obrigada pela ajuda. Como há subespécies de H. elegans com aspecto parecido, mantém-se a dúvida, mas já não no género.

Edna B. disse...

fiquei eu a imaginar, encantada sob essas grades, a espreitar os verdes e as cores do jardim dessas ruas, encantei qdo citou a quaresmeira, moro no Mato Grosso Brasil, lugar onde a floração dessa espécie é predonominantemente, bela. Pude sentir cheiros, ao visualizar suas fotos. Belo seu espaço, sempre estarei aqui, se me permitir.
um abraço