24.10.07

"Arrogância Castigada... mas ainda não os arrogantes"










A ler no PNED:
«Quem acompanhou o combate de diversas associações e cidadãos contra a forma como se destruíram os jardins dos Aliados e a sua calçada portuguesa sabe com que arrogância, autoritarismo, desprezo e até chacota várias "autoridades" e "personalidades" se referiram a essas associações e cidadãos por mais do que uma vez, e como até, muitos meses depois, chegam a invocar o facto de uma juíza ter assinado a petição respectiva para porem em causa a sua imparcialidade...

Pois bem. Segundo o JN de hoje (julgo que a notícia está reduzida online sendo a edição em papel bem mais explícita), um estudo encomendado a uma firma de consultadoria britânica para ver se conseguem "animar" os Aliados, chegou à conclusão brilhante (devem ter lido o blogue que os "contestários" criaram na altura e outros documentos de idêntica proveniência...) de que é necessário criar zonas de sombra na Avenida e recantos de repouso bem como (e já que não existe agora solo teria que ser em floreiras...) canteiros floridos. Mas, claro, sob supervisão do "arquitecto". Talvez, podemos nós imaginar, ele não ache agora "rodriguinhos" as tais floreiras e queira contribuir para "recuperar" os "aliados acabadinhos de recuperar"!

Belo puxão de orelhas à arrogância mas ainda não aos arrogantes, perante os quais, por enquanto, ainda continuam os salamaleques.
Saudações cordiais, JCM »

Aliados fora da rota das compras- no JN

4 comentários :

as-nunes disse...

Pelo que deduzo do texto, na altura da contestação, ainda houve, no meio dos arquitectos das recuperações de espaços urbanos, alguém que reagiu, embora com palavras de menosprezo pelas opiniões de associações civis que nada lucram financeiramente.
Aqui em Leiria nem sequer obtive resposta, até à data, a uma questão que considero importante e que parece estar a passar despercebida à população. Diga-se em abono da verdade que as pessoas em geral, de tão preocupadas em gerir o dia a dia, nem admira que não reparem em certos pormenores que também têm o seu valor e que nos afectam, ainda que nem por tal se dê conta no imediato.
Será só falta de sensibilidade ou também andam por aí muitas jogadas de bastidores? É que o faz primeiro e vê como fica depois, as mais das vezes obriga a refazer. Entretanto, alguém anda a "ganhar" dinheiro do erário público, para além do razoável.
Ántónio Nunes

bettips disse...

"Rodriguinhos"...pois logo foram encomendar consulta-dorias aos britânicos. avaros dos seus verdes, flores, canteiros, espaços ajardinados... Donde sais duma rua e encontras um quarteirão romântico! Só podia vir uma "calamidade" destas, devidamebte anunciada em tempo pela "normalidade" dos portuenses e associações. Um breve sorriso, que não nos contenta nem um bocadinho. E é que se calhar o António até temn razão! Abçs

as-nunes disse...

E era preciso pedir conselhos (consultas pagas e bem pagas concerteza) aos Britânicos?
Somos burros ou quê? Não temos cá gente capaz, competente, com sensibilidade?!
Raios partam a nossa mania de que "santos de casa não fazem milagres"!
Não entreguem é a acessoria/consultoria só aos amigos sem aquilatar das suas reais capacidades para saberem interpretar o anseio das populações, o ambiente integrado no conjunto do património urbanístico, seja dos tempos recentes, seja do tempo dos nossos avós!
Está difícil deixarem de nos atirar areia para os olhos para só podermos ver as coisas depois de feitas, sabe-se lá como e por quem!...
António N

Anónimo disse...

As-Nunes, infelizmente há muito boa gente que, perante os mesmos argumentos, dão-lhes mais valor se eles forem defendidos por gente de fora. Este é um exemplo, e o da menina "desaparecida" é outro. É lamentável este eterno complexo de inferioridade dos portugueses em relação ao "estrangeiro". Octávio Lima (ondas3.blogs.sapo.pt)