26.1.08

Pepineiro-bravo


Ecballium elaterium

«Era uma vez uma ilha onde se perdia o tempo. Os habitantes começavam todos por chegar de alguma parte. Instalavam-se, casa, horta, pomar. Mas aos poucos iam perdendo os dias da semana, uma quarta-feira, uma sexta-feira, algumas tardes, muitas noites frias. A horta crescia e decrescia mas de parte nenhuma para parte nenhuma e a certa extraordinária altura quando alguém comia por exemplo uma salada de tomate perguntava já o que é isto.»

Ana Hatherly, 463 tisanas (Quimera Editores, 2006)

1 comentário :

MANHENTE disse...

Muitos parabéns pelo vosso blogue, a que vim ter inesperadamente numa busca no google com as palavras Eulália + árvore, que me remeteu para um post de 2005 sobre a Olália.

Sou um apaixonado por árvores (embora não um conhecedor profundo). Tal facto revela-se, por exemplo, num tema de coleccionismo que desenvolvo: pacotes de açúcar de hotelaria e restauração cujo nome é uma árvore e que ostentem a imagem respectiva (poderão ver imagens de alguns exemplares no meu blogue "Viagens com Açúcar"). Foi precisamente para saber se a palavra Eulália designava uma árvore que efectuei a busca acima referida, pois aparece-me num pacote de açúcar na forma de tubo (denominado stick)espanhol que exibe duas árvores: aparentemente olálias (Tasca Eulalia, em Denia)...

E assim se explica a minha vinda aqui :-)

Com os melhores cumprimentos,
Rui