11.6.08

Roselha-maior


Cistus albidus

Não as contámos, e aliás a distinção entre elas exige alguma paciência, mas talvez tenhamos encontrado na Serra dos Candeeiros umas cinco ou seis espécies de Cistus, todas em plena floração. Duas das espécies tinham flores rosadas: eram elas a roselha (Cistus crispus) e a roselha-maior (Cistus albidus). A segunda, além de ter flores maiores e de um tom mais suave, ainda se diferencia da primeira pelo porte mais avantajado e pelas folhas penugentas e esbranquiçadas (que justificam o epíteto albidus).

A roselha-maior é uma planta mediterrânica, espontânea de Portugal até à Itália e também em Marrocos e na Argélia. A sua distribuição no nosso país é descontínua, concentrando-se na Estremadura, no interior alentejano e no Algarve. Preferindo ela solos calcários, não é supresa encontrá-la na Serra dos Candeeiros; é de supor, aliás, que a serra albergue uma das maiores populações da espécie em território nacional. Em vários pontos da encosta, sobretudo em antigos olivais, ela forra por completo o solo; noutros locais, como mostra a foto abaixo, disputa a primazia com o alecrim. Mas cada planta tem a sua época de glória, e o alecrim, despojado do seu azul, terá de aguardar a próxima temporada: quem desta vez monopolizou a nossa admiração foi a roselha-maior.

Ainda que pouco se vejam em jardins portugueses (apesar da sua origem mediterrânica, é de facto mais fácil encontrá-los em jardins londrinos), os Cistus têm granjeado crescente popularidade em horticultura. E, sendo embora inúmeras as variedades ornamentais, a roselha-maior, que cresce livremente nos nossos montes, tem beleza de sobra para ombrear com as melhores.


Serra dos Candeeiros

2 comentários :

gintoino disse...

É realmente uma pena q não apareçam mais no mercado. Além de bonitas, são plantas perfeitamente adaptadas ao nosso clima, não necessitando das quantidades astronómicas de àgua q algumas plantas exoticas mais populares necessitam. No meu jardim existem algumas especies/cultivares q fui conseguindo encontrar, e este ano consegui Cistos albidus por sementeira.

Cartas a Si disse...

Gosto muito deste blogue, tem sempre fotos de muita qualidade e informações úteis e interessantes. Foi com muito apreço que li esta mensagem sobre uma das plantas que acompanhou a minha infância. Rapariga da serra como sou, sempre foi para mim uma felicidade ver esta planta florescer.