25.6.09

Incrível troca de cores


Scilla monophyllos

Um fenómeno como o que hoje aqui revelo bem mereceria manchete de primeira página no Jornal do Incrível, se o tempo, e as mudanças de que o mesmo é composto, não tivessem acabado com tão instrutivo pasquim. Haveria, porém, um óbice: recordo-me desse jornal todo a preto e branco, mas pode ser lapso meu (com a distância temporal as recordações perdem viço e cor). Assim, se a manchete gritasse aos leitores: Descoberta em Valongo uma Scilla monophyllos de Flores Brancas; e em subtítulo: Planta Albina Terá Feito Pacto de Troca de Cores com Anémona Suicida - se fossem essas as chamadas de primeira página, as bocas abrir-se-iam de espanto, e a edição do jornal esgotaria em poucas horas. Só que... e o comprovativo fotográfico do fenómeno? Uma galinha com duas cabeças e três patas pode ficar registada a preto e branco sem que a notícia perca credibilidade, até porque galinhas dessa estirpe são coisa corriqueira; mas, tratando-se de um fenómeno botânico nunca antes observado, a que a foto a preto e branco é incapaz de fazer justiça, os leitores ficariam legitimamente de pé atrás. Que uma flor é azul e a outra branca, quando toda a gente sabe que é ao contrário? Vai contar essa a outro. Uma vez inoculado o vírus da desconfiança, os seus efeitos alastrariam à leitura das restantes notícias: Quantas patranhas destas não me terão já estes maduros tentado enfiar? Bem vistas as coisas, se o Jornal do Incrível publicasse notícias como esta, sobre a inexplicável permuta cromática entre duas flores silvestres de diferentes famílias botânicas, a falência ainda o teria atingido mais cedo. O media apropriado é este blogue que o leitor vai folheando - e que, por uma vez, não quis fugir ao apelo do sensacionalismo fácil.

(Pode ver aqui uma Scilla monophyllos com a cor certa. Em cima, na foto da esquerda, vê-se também, ao lado da planta albina, um exemplar normal já com as flores murchas.)

2 comentários :

PV disse...

É vergonhoso o estado da nossa imprensa tablóide, que cada vez mais consegue passar ao lado dos acontecimentos verdadeiramente alarmantes que transtornam as nossas vidas. Parabéns ao “Dias com Árvores” pela coragem, e obrigado por nos manter devidamente chocados.

Paulo Araújo disse...

Procurei outros fenómenos que impusessem a marca Valongo no nosso noticiário botânico-alarmista com a mesma força que antes tinha a marca Entroncamento. Consegui pouca coisa para lá do que já mostrei. Mas, com a situação desencorajadora da imprensa tablóide nacional (bem pertinente a sua denúncia!), não vale a pena um tipo esforçar-se muito, pois ninguém lhe vai comprar tais notícias. Enfim, uma atitude irresponsável de quem namora o abismo. Que não venham depois esses jornais tentar comover-nos com as queixas da crise.