28.12.09

Senhora de Alcântara


Alcantarea geniculata (Wawra) J. R. Grant

As bromeliáceas, plantas herbáceas de que o ananás é o mais famoso representante, são quase uma especialidade brasileira: dos mais de 60 géneros e 3000 espécies que integram a família, pelo menos 40 dos géneros e 1200 das espécies pertencem à flora do Brasil. Muitas delas, sobretudo as que moram na Mata Atlântica, são epífitas: vivem empoleiradas em árvores e obtêm sustento da humidade, das poeiras e da matéria orgânica em decomposição que existe sobre a hospedeira. Outras espécies são terrestres, abundantes em caatingas (savanas semi-áridas características do nordeste brasileiro) e em restingas (terrenos arenosos, próximos do mar, cobertos com vegetação herbácea).

As inflorescências das bromeliáceas têm brácteas vistosas, por vezes dispondo-se em forma de espátula. As folhas, em roseta basal, frequentemente espinhentas, formam uma imbricação onde a planta armazena água como num tanque. Esses reservatórios líquidos, além de indispensáveis para a boa saúde da planta, cumprem papel ecológico importante, fornecendo humidade e nutrientes a pássaros, insectos, anfíbios e lagartos. Claro que há insectos que não nos são particularmente simpáticos, como os mosquitos. Para evitar que eles depositem as suas larvas no tanque das bromeliáceas, há quem recomende aspergi-las com óleo de cozinha e detergente para a louça, diluindo-se previamente num litro de água uma colher de chá dessa estranha mistura. Por serem em regra fatais para a planta, devem evitar-se o sulfato de cobre e outros insecticidas químicos.

O nome Alcantarea tem inconfundível ressonância portuguesa, e de facto deriva de Alcântara - supõe-se que em homenagem a Dom Pedro II (de seu nome Pedro de Alcântara), segundo e último imperador do Brasil. Até há poucos anos conheciam-se dezena e meia de espécies, todas do sudeste do Brasil. Sem que se tenha ampliado o seu âmbito geográfico, a partir de 2007 acelerou-se a descoberta de novas espécies, que totalizarão hoje umas 28 ou 29 (conferir aqui). São plantas terrestres, altas (de 1 m a 1,8 m), sem espinhos, com flores perfumadas abrindo cedo pela manhã, que preferem habitats rochosos e, quando cultivadas, agradecem um solo bem drenado.

Sem comentários :