23.1.10

Rio Homem


      A nossa terra encolherá
e antípoda contra antípoda
se encostará.
Então, de pés unidos,
o planeta já sumido,
enfim conheceremos
o terreno que pisamos.


Piet Hein, Gruks (Moraes Editores, 1973, trad. David Glyn Evans)

4 comentários :

Maria da Luz Borges disse...

Rio Homem...
Rapido, frio, limpido e belo! Uma vezes selvagem, outras dominado pelo homem, fica calmo e espraia...
Santa Maria do Bouro, Amares,Ponte do Porto, medieval como a da Ajuda, no Guadiana. Que bom é lembrar o Minho! Já tenho o meu descanso de hoje. Já ganhei o meu dia!
Bom domingo
Luz
( e desculpem não vos falar de botânica, mas os meus conhecimentos na Área são do antigo quinto ano dos liceus,õu apenas empíricos...)Mas vou passando porque, por aqui, descanso!!!

Rafael Carvalho disse...

Visitei o Gerês há três anos atrás.
É efectivamente monumental. A Mata da Albergaria é do melhor...
Quanto ao Rio Homem, fiquei com uma história para contar.
Aficionado pelo mundo natural, há muito sabia da existência da salamandra lusitânica, um anfíbio endémico do NW da Península Ibérica. Junto à Portela do Homem e da sua monumental cascata, não resisti e fui a banhos. Lembrei-me na altura de alguns relatos sobre o supracitado animal, nas límpidas águas do Gerês. Decidi procurar. E nem sequer tive de procurar muito! Por entre pedras, musgos e salpicos da cascata, lá estava ela, a salamandra lusitânica com a sua longa e inconfundível cauda...

M. Dalila disse...

O Gerês é uma das mais preciosas jóias ambientais que temos: o Parque Nacional da Peneda-Gerês é ainda o único que temos, não é?Para além do Lírio-do -Gerês (Iris boissiei), que outras espécies endémicas vegetais há neste paraíso lusitano?Ele floresce em Junho,certo? Já o mostraram neste Blog?
Uma excelente semana!

Paulo Araújo disse...

Dalila, mostraremos essas e outras maravilhas do Gerês logo que as consigamos fotografar - e este ano temos já preparadas várias excursões com esse intuito entre Março e Junho. (O Iris boissieri, ao que consta, floresce mesmo em Junho.)