6.4.10

Ametista de poupa branca


Linaria amethystea subsp. multipunctata (Brot.) Chater & D.A. Webb

Dizem os livros que a Linaria amethystea se distingue de outras espécies pela asa verrugosa da semente achatada. Pode ser. Nós, enquanto nos ajoelhávamos mesuradamente num orquidal (palavra que designa um metro quadrado com mais de dez ófris), reparámos nestas flores de cor creme pintalgadas de roxo, esporão longo e púrpura, manchinha cor-de-laranja ao peito. Convocadas deste modo quase todas as cores que existem, veio-nos à memória uma outra flor que encontrámos no vale do Tua. Para esta espécie, os botânicos propuseram, e com acerto, que se etiquetassem duas subespécies: a amethystea e a multipunctata - a qual, a julgar pelo nome, deverá exibir muito mais pintinhas do que a outra.

Como as outras linárias, este passarinho-morado tem um caule erecto e folhas semelhantes às do linho. É um terófito de terrenos cultivados e expostos ao sol que floresce de Fevereiro a Junho. Não é rara, embora seja endemismo da Península Ibérica. Mas sabe o leitor como é invejar em surdina quem já a tinha avistado? Pois é, só agora é que nos curámos.

3 comentários :

Carolina disse...

Mas que maravilha de flor!

RENATA RZ - Dicas Green disse...

Meu Deus! Que maravilhosa!!!

M. Dalila disse...

O que vocês descobrem e abençoadamente partilham connosco! Para mim que gosto, particularmente, das flores "rústicas" ou silvestres, vir ao vosso blogue, é um deslumbramento ininterrupto.OBRIGADA!
Gostei muito de saber as últimas descobertas sobre a longevidade das orquídeas! Sempre achei estranho que flores tão evoluídas, fossem tão recentes!É muito agradável e sortudo, ter a Maria Pires de Carvalho e o Paulo Araújo actualizarem estes conhecimentos de Botânica.
Até sempre!
MD