25.6.10

Viola de água



Viola palustris L.

A Serra de Gerês é cruzada por muitos rios e ribeiros, alimentados por inúmeras fontes. A tentação é ir sempre subindo para os cumes áridos, onde se concentram as raridades botânicas, mas enquanto lá não chegamos abriga-nos um arvoredo fresco (carvalhos, bétulas, salgueiros, sanguinhos-de-água) onde se ouve a água cantar. E não poucas vezes é um coro de violas que acompanha o líquido cantante - violas silenciosas que vivem na água e a enriquecem de cor.

Viola é o nome científico das plantas que, aprimoradas por gerações de viveiristas, se metamorfosearam nos amores-perfeitos dos nossos jardins. Mas o género é muito populoso e inclui mais de 400 espécies silvestres na América, Austrália, Ásia e Europa. As cerca de 90 espécies europeias variam no tipo de habitat preferido, no formato das folhas, e no tamanho e coloração das flores, as quais de resto seguem um modelo quase uniforme.

A viola-de-água, encontrada em terrenos paludosos, em charnecas húmidas e em margens de riachos, ocorre por toda a Europa, mas em Portugal, onde não é de modo nenhum uma planta vulgar, a sua presença restringe-se à metade norte do país. A predilecção pela água; as folhas redondas e dotadas de longos pecíolos; as flores com 10 a 15 mm de diâmetro, de um lilás pálido, marcadas por uma venação escura: eis uns quantos traços que denunciam a sua identidade. Menos óbvio à vista desarmada é tratar-se de uma planta perene que faz uso de caules rastejantes ou subterrâneos para formar tapetes de extensão considerável.

2 comentários :

Anónimo disse...

Sim, posso mesmo ouvir a água cantar, entre o arvoredo fresco do tão belo Gerês. E, se apuro o ouvido, lá "vejo" o coro multicor das belas violas silenciosas, tão delicadas e perenes são.

Então, amores-perfeitos são as violas das águas metamorfoseadas? Pois! Adorava vê-los nos jardins da minha metade norte de sonho e saudade e airosos jardins .

Que ricas imagens e que belo texto, Paulo. Seguindo suas palavras deslizantes, pode-se, sim, ouvir a água dos ribeiros cantar.

Abraço,
Angélica Alves

Paulo Araújo disse...

Muito obrigado pelo comentário e pela simpatia. O Gerês vai aparecendo aqui aos bocadinhos, para que as pessoas ganhem vontade de o visitar. E temos uma surpresa para daqui a uma ou duas semanas.

Abraço,
Paulo