25.3.11

Manso planalto


Pinheiros-mansos (Pinus pinea) em Oliveira do Conde (Carregal do Sal)

9 de Dezembro de 1950 - Nem sei caçar aqui. As lebres correm para o infinito, as perdizes voam para o azimute, e cada passo que dou não acrescenta nem adianta. É tal a minha sensação de impotência diante desta imensidade, que chego a ter a impressão de que cada chaparro foi um homem que desesperou de atingir qualquer fim, e parou.

Miguel Torga, Diário (D. Quixote, 2010)

7 comentários :

Luísa Borges disse...

Como é bom ver a nossa terra, numa bela fotografia... Muito obrigada, beijinhos.

Maria da Luz Borges disse...

Lindo!!!
Lindo o texto e linda a paisagem!

Virginia disse...

Gosto de apanhar pinhas com os meus netos aqui no Campo Alegre. Os pinheiros parecem monotonos nas nossas paisagens, mas são árvores frondosas e excelentes para piqueniques:)))

Bom fim de semana.

Rúben Vilas Boas disse...

Sem palavras.

James disse...

Lindo o nosso país assim, simples e de uma luz tão pura. A Fotografia traduz um sentimento que eu conheço bem e apenas o sinto quando ando por sitios como esse, e só no nosso Portugal.

Miguel disse...

Brilhante!

Lucia disse...

que bela paisagem e tudo o mais !