22.6.11

Viola da Austrália


Viola hederacea Labill.

Nome vulgar (na Austrália): native violet
Ecologia e distribuição: lugares húmidos na metade oriental da Austrália, Tasmânia e Malásia
Época de floração: quase todo o ano
Data e local das fotos: Agosto de 2008, Kew Gardens
Informações adicionais: as hastes floridas têm cerca de 8 cm de altura, e as folhas (suficientemente semelhantes às da hera para justificar o epíteto específico) têm uns 2 cm de diâmetro; trata-se de uma planta estolhosa, capaz de cobrir grandes extensões de terreno por reprodução vegetativa

4 comentários :

rui fonseca disse...

Em Abril de 2007 tirei umas fotografias de violetas na Virgínia, EUA. Coloquei uma delas aqui.

http://aliastu.blogspot.com/2007/04/violetas-na-virgnia.html

Pareceram-me muito idênticas, como digo no apontamento que coloquei a propósito, às que via no quintal da minha avó, numa aldeia próxima da Figueira da Foz.

Refere que estas têm uma folha semelhante à da hera para "justificar o epíteto espacífico". Não percebi.

Tenho reparado que o nome de viola é dado aos amores-perfeitos.

Supunha que violeta tinha mais a ver com a cor (violeta) que o nome do instrumento musical.

Estou confuso, portanto.

Antecipadamente grato pela atenção que este comentário lhe merecer.

Fátima Isabel disse...

Vi-a em Sintra, no ano passado em Monserrate, num canteiro junto ao Palácio, estava de facto a cobrir toda a área do canteiro e fazia um bonito efeito.
Parabéns pelo blog
Fátima Isabel

Maria Carvalho disse...

Caro Rui:
O nome científico da hera mais comum é Hedera helix. Por isso, esta espécie de Viola, que tem folhas com formato semelhante, se identifica pela designação hederacea.

O nome vernáculo violeta alude ao roxo das flores nas espécies mais conhecidas de Viola, e não ao instrumento musical. É nome de uma cor precisamente por causa destas plantas. Mas é também diminutivo de Viola, ajustado às espécies deste género com flores mais pequeninas.

Os amores-perfeitos, mesmo os híbridos ou os produzidos em viveiros, são plantas do género Viola.

Maria Carvalho disse...

Obrigada, Fátima Isabel, pelo elogio. O uso de violetas nos canteiros, que no Porto por vezes enfeitam o bordo do túnel do Campo Alegre, só tem uma desvantagem: a variedade de jardim que se utiliza tem uma floração rápida e, por isso, a manutenção do colorido é onerosa.