18.10.11

Nuvem de algodão

Visitámos esta turfeira no início da Primavera à procura de flores de Menyanthes trifoliata. No ano anterior eram tantos os pés de três folhas que antevíamos uma floração exuberante. Mas não havia sinais de flores, e o nível da água estava ainda alto. Em Maio, regressámos. E de longe, da estrada esburacada que nos leva, e ao gado, até à terra escura e pantanosa, era este o cenário.



Corremos, claro, de galochas postas e olhar preso a esta nata branquinha como se ela fosse efémera e, num segundo de descuido, se volatilizasse. Não eram porém as flores da faveira-de-água que estendiam o tapete branco, embora numa das fotos se lhe vejam as folhas, mas as de uma planta vivaz semelhante ao junco. Possui ela flores revestidas por densos anéis de fibras brancas, cada qual com cerca de 5 cm de comprimento, que lhe dão este aspecto algodoado e justificam o nome científico Eriophorum (do grego erion = lã, e phoron = que produz).


Eriophorum angustifolium Honck.

É uma herbácea rizomatosa com cerca de 75 cm de altura. As folhas são estreitas (3-5 mm de largura), daí o epíteto angustifolium. A inflorescência é terminal, protegida por brácteas e formada por uma espigueta solitária ou por meia dúzia delas; as flores são hermafroditas e nascem num invólucro feito de glumas acastanhadas com margens transparentes, em arranjo helicoidal. Os frutos são aquénios diminutos e pardos, com restos da barbicha branca.

Vive mergulhada na água e prefere solos ácidos de sítios paludosos de altitude. Subcosmopolita, está presente em grande parte da Europa, América do Norte e Norte da Ásia. Em território português, há registo dela na Beira Alta (serra da Estrela), em Trás-os-Montes e no Minho. A Flora Ibérica lista mais três espécies de Eriophorum para a Península, mas só o E. angustifolium ocorre por cá. Embora alguns manuais indiquem que floresce de Julho a Agosto, está visto que, em alguns lugares, ela se adianta uns dois meses.

3 comentários :

Orion disse...

Boa Tarde

Confirmo a floração antecipada da Eriophorum, em junho numa zona alagada, perto da Meda de Rocalva,encontrei dezenas de exemplares em floração, http://cabradogeres.blogspot.com/2011/06/roca-negra-asas-brancas.html

bettips disse...

"branca-de-neve"
Onde mais bela do que eu?
O espelho do céu responde com a imagem.
(escusado - tornar a - dizer que tenho encontros surpreendentes, no chão comum, depois de vos conhecer)
Abçs

Catarina disse...

Campo lindo de algodão! Nunca tinha visto! E eu que nem vivo assim tão longe da Serra da Estrela, tenho o mau hábito de só lá ir quando neva:(... E depois perco estes espectáculos da Natureza. Tenho que dar mais atenção à Serra noutras alturas do ano e observar a diversidade da flora que lá existe...

Parabéns pelo blog, adoro "passear" por entre estes campos (posts).