11.11.11

Agenda

Omphalodes linifolia (L.) Moench

  1. Endemismo do noroeste da Península Ibérica, ocorre na metade norte do território continental português. É herbácea perene, rizomatosa, que pode chegar aos 65 cm de altura. Tem uma roseta basal de folhas com mais de 10 cm de comprimento. A floração dá-se entre Abril e Setembro e a corola tubular das flores é azul com cinco pregas claras. É frequente em matos e solos cultivados, mas pede sítios sombrios e húmidos.
  2. Omphalodes linifolia (L.) Moench
  3. Planta anual do sudoeste da Europa (França e Península Ibérica), é rara em Portugal, onde se restringe a meia dúzia de locais no centro e sul. Parece gostar de clareiras de bosques, terrenos incultos com solo arenoso e zonas pedregosas. As folhas da roseta basal não crescem, em geral, mais de 5 cm, mas a planta atinge os 50 cm de altura. Floresce entre Abril e Junho, e a inflorescência terminal é rala. As flores não têm brácteas e as corolas, com cinco pregas, são por regra brancas (mas podem ser azuis).
  4. Endemismo português, do litoral centro: encontra-se pontualmente numa faixa que se estende de Cascais ao Cabo da Roca, embora se julgue que noutros tempos surgisse em todo o litoral, da Estremadura à Galiza. Desenvolve-se nas arribas e areais marítimos, e floresce entre Abril e Maio. É uma erva anual quase rasteira (mede cerca de 15 cm), glauca, com flores bracteadas que têm corolas com as mesmas cinco pregas e um matiz azul pálido. (Não esquecer de ver em 2012, está em risco de extinção.)

Sem comentários :