12.9.12

Trevo-encarnado

Modiola caroliniana (L.) G. Don

Crê-se que esta planta rasteira, cujo aspecto lembra o dos hibiscos, tem origem na América de clima temperado ou tropical, e não apenas nos estados da Carolina do Norte e do Sul, mas há muito se terá disseminado para regiões de ambiente idêntico noutros continentes. Tolera o ar salgado e não parece exigente com a qualidade do habitat: basta-lhe um prado bem irrigado, solo arenoso mas húmido ou um terreno inculto na margem de uma lagoa. Como não há nariz que aguente morar por longo tempo junto a águas poluídas, esta herbácea, em geral perene, consegue optar por um regime anual.

Vimos estas flores da cor do mercúrio junto à ponte de Requeixo, no concelho de Aveiro. Perto está a Pateira de Fermentelos, uma das maiores lagoas naturais da Península Ibérica (no Inverno chega aos 5 quilómetros quadrados), que integra a Zona de Protecção Especial da Ria de Aveiro e, portanto, a Rede Natura 2000. Lemos numa página mantida pela Câmara de Águeda que a Pateira já foi parte de um braço de mar, antes de se formar a ria de Aveiro. Há uns séculos, os aluviões dos rios Cértima e Águeda engordaram o caudal do que é hoje o rio Vouga e formaram uma vasta zona apaulada na sua envolvente, mas o assoreamento isolou uma lagoa, transformando-a num condomínio de patos com uma biodiversidade notável. Patos ainda há muitos, mas a lagoa está inquinada com jacintos-de-água, e são pouco críveis as descrições da flora do lugar que ali situam uma população de Marsilea quadrifolia.

Os caules da erva-do-amor (nome açoriano, tal como o do título), a quem Lineu chamou Malva caroliniana em 1753, enraizam-se pelos nós e podem chegar aos 25 cm de comprimento. As flores, de Primavera-Verão, são solitárias, axilares e minúsculas (cerca de oito milímetros de diâmetro), com cinco pétalas e outras tantas sépalas triangulares verdes que se unem num cálice um pouco mais curto que a corola. Por sorte, o mesmo pé de Modiola tinha já frutos, umas cápsulas que lembram o carrossel dos antigos projectores de diapositivos, com umas duas dezenas de sementes duplas alinhadas em círculo e separadas por raios que se encaixam como numa roda.

A designação Modiola, do latim modiolus, alude ao formato do fruto e foi proposta pelo botânico alemão Conrad Moench em 1794. Este género é hoje mono-específico depois de as outras espécies se terem mudado para o Modiolastrum; talvez a Modiola não tarde a juntar-se-lhes.


Ponte de Requeixo, Aveiro

4 comentários :

Carlos M. Silva disse...

Olá Maria
Andei dois anos às costas com esta planta e flor sem saber o que seria.
O meu olhar de leigo só lhe via ares de 'Ranunculaceae' mas nada encontrava.
Fotografada num único lugar em 2010, e 2012, em casa de familiares ..na aldeia da Gralheira, coloquei-a para identificação no Naturdata em Maio/2012 e foi então que o Ian Smith ma identificou como aqui está. E surpresa, disse ele; dada apenas (na Flora Ibérica) para a Beira Litoral, encontrei-a de boa saúde em 15/Abril deste ano num mero 'quinteiro' interior,onde é ou pode ser pisoteada. Bem ..lá os informei que tinham uma importação botânica das américas aos pés.E sim, Gralheira e portanto Beira Alta.
Abraços
Carlos M. Silva

bettips disse...

Andei há 2 ou 3 anos à volta da Pateira. Beleza quase desconhecida... Estava completamente infestada de jacintos-de-água, sítios assoreados, quase mortos. É um lugar especial e que devia ser tratado condignamente, pela diversidade e pela história antiga que se lê, desde a sua formação.
Infelizmente, não se dá valor a lugares nossos, quase únicos.
Abçs

Maria Carvalho disse...

Carlos: Os editores da Flora Ibérica precisam que lhes enviem estes dados para terem o mapa actualizado. Infelizmente, não é usual confiarem nos não-botânicos.

bettips: Desta crise não se fala.

Carlos M. Silva disse...

Olá Maria
Com a 'vigilância felina a doutoramentos à Relvas'!!!(coitado!) não me atrevo a ir à Lusófona pedir equivalências botânicas ..apenas por que fotografo!!!e ..dar-me ares de doutor à FI!!
Agora a sério: desde Mar/2012 que a(s) máquinas que uso têm GPS integrado; significa isso que as de 2010 não têm as coordenadas geográficas e as de 2012 têm ou deveriam ter;só que as de 2012,e como já me aconteceu variadas vezes,e vi agora,ficaram com as coordenadas do sítio anterior ..por não ter tido a diligência de abrir a máquina antecipadamente e actualizar a informação via satélite! Coisas de novato e leigo!Paciência.
O Naturdata tem a informação correcta e o Ian saberá o que fazer com isso..pelo menos até à próxima Páscoa onde poderei lá voltar, na certeza que continua por lá.
Abraço
Carlos M. Silva