23.3.13

Três-em-rama




Potentilla montana Brot.

Quando a vimos, numa berma de caminho, de uma aldeia montanhosa e fresca de Vale de Cambra, ladeado por hortas e campos com ovelhas dorminhocas, julgámos estar diante de um morangal. A planta das fotos seria, pensámos, uma variedade de morangueiro (Fragaria X ananassa Duchesne) escapada dos torrões cultivados. Na dúvida, o fotógrafo registou o essencial da planta: longos estolhos, método de propagação que os morangueiros também adoptam; pétalas brancas (como as dos morangueiros) de uns 9 mm de diâmetro, afastadas e maiores do que as sépalas; talos e cálices lanudos; folhas com três segmentos, a lembrar as dos morangueiros, cada um deles dentado na região apical, verde e pubescente na face superior, cinzento e acetinado na inferior. Ainda não havia morangos, mas conviria guardar as coordenadas do local para posterior colheita do pitéu.

Apesar de iludidos, desconfiámos de tanta penugem. As plantas que se preferem nos morangais são as que geram receptáculos (onde os inúmeros aquénios se encaixam) vermelhos, carnudos e glabros. Uma consulta bibliográfica desfez finalmente o engano: trata-se de uma Potentilla com flores brancas, descrita por Brotero em 1804, que se dá bem em relvados e sítios pedregosos de montanha e é nativa de parte da França e da metade norte da Península Ibérica. Não parece haver razão para não ser planta comum nos pastos verdejantes no norte do país, mas não há registos que confirmem um tal optimismo.

Estas terão sido flores temporãs já que a floração se pode prolongar até Julho. O que nos dá esperança de rencontrar a planta com mais flores não estragadas pelo vento. Os frutos são afinal aquénios lisos sem valor gastronómico conhecido.

3 comentários :

bea disse...

Também pensei que morangueiros :))
Como é que a natureza consegue dentadas tão realistas...não se explica; que quase se desenha ali a boca de um roedor de flores a abocanhá-las.
BFS

ZG disse...

Excelente post!!
Não conhecia esta planta!
Já agora, qual seria o nome da aldeia do conc. de Vale de Cambra - um dado sempre muito importante para quem se interessa por estas coisas?
Bem hajam,
ZG

Paulo Araújo disse...

Caro ZG:

A planta foi fotografada em Cartim, na freguesia de São Pedro de Castelões. É relativamente frequente nas bermas dos caminhos da aldeia.

Saudações,
Paulo Araújo