1.6.13

Erva de obedecer



Hypecoum imberbe Sm.

Quando a vimos, num terreno cultivado junto à barragem da Bemposta, pareceu-nos uma flor mal formada, com duas pétalas de tamanho anormal. A cor e a textura dela lembraram-nos da papoila-das-praias; uma consulta da informação sobre a família Papaveraceae no portal Flora-On permitiu-nos identificá-la e aprender depois que é uma herbácea anual da Europa mediterrânica, cuja distribuição em Portugal se restringe ao Alto Alentejo, centro-este, e nordeste.

Sendo parente das papoilas e de berço agrícola, não surpreende que tenha também propriedades narcóticas e que lhe chamem, em espanhol, dormideira-das-malvas (a par de outras designações espirituosas, como pamplina, pico de pajarito, zapatilla de la reina). Erva-de-obedecer é a tradução à letra do nome do género.

A fotografia de uma planta pequenina (não mais de 40 cm de altura) que gosta de companhia e da lavoura não é tarefa fácil, mais ainda se quase só tem folhas basilares e finamente subdivididas. Por sorte, as flores, com cerca de 1,5 cm de diâmetro e simetria bilateral, de quatro pétalas amarelas douradas, dois pares de estames de formatos distintos e pólen alaranjado, são vistosas e agrupam-se em inflorescências erectas a que nenhum fotógrafo resiste. As pétalas interiores exibem umas manchinhas negras (veja a última foto) de um pigmento que é solúvel em água; parecendo uma nódoa, trata-se de facto de um enfeite cuja utilidade desconhecemos. O fruto é um vagem estreita, articulada e arqueada como um C, contendo, para dar sequência ao alfabeto, sementes pardas em forma de D (pode ver imagens de ambas as coisas aqui).

No continente ocorrem mais duas espécies do género Hypecoum, o H. littorale e o H. procumbens, de que só há registos em zonas costeiras e de solo arenoso do Algarve.

1 comentário :

bea disse...

São alegres, sem dúvida