18.11.13

Nunca é tarde para ser narciso





Narcissus serotinus L.

Nome comum: narciso-tardio
Ecologia: clareiras de bosques, taludes pedregosos e zonas arenosas
Distribuição global: sudoeste da Península Ibérica e noroeste de Marrocos
Distribuição em Portugal: Alto e Baixo Alentejo, Algarve
Época de floração: de Setembro a Novembro
Data e local das fotos: Novembro de 2013, na margem do rio Guadiana
Informações adicionais: É uma herbácea perene que forma, com o Narcissus cavanillesii, o par de narcisos com floração de Outono que ocorrem em Portugal. As flores, levemente aromáticas e de corola curta com seis dentinhos amarelos, são em geral solitárias e nascem no topo de hastes erectas com uns 20-30 cm de altura. Os polinizadores são insectos, frequentemente abelhas ou, rareando estas em Outubro, talvez os muitos mosquitos que ainda mordiscam nas zonas ribeirinhas. Depois da flor, surge em cada planta uma folha linear de secção semicircular e glabra. Como é usual no género, os frutos são cápsulas com várias sementes escuras. A população que vimos pareceu-nos abundante, tanto quanto a do Ranunculus bullatus que lhe fazia companhia.


Elvas: 2/3 da ponte da Ajuda sobre o rio Guadiana

3 comentários :

Anónimo disse...

Não me lembro de já ter visto um narciso silvestre. Tão bonito. Parece uma estrela pousada sobre um caule de flor.
Obrigada

Maria Carvalho disse...

Pois parece.
No Inverno há mais narcisos em flor, já não tarda a oportunidade de ver muitos (no continente...).

Anónimo disse...

Esse local é fantástico.. andei por aí em 2002 quando ainda estava a começar, mas fora de época. Sempre fiquei com intenção de regressar, mas nunca se proporcionou nova oportunidade.
Obrigado pelas recordações que este post reavivou.
AC