1.12.13

Semear Portugal

Em Portugal a jardinagem pública é uma arte perdida, substituída que foi pela rotineira manutenção de bisonhos espaços verdes. Quem quiser usufruir de um jardim colorido ou deita ele próprio mãos à obra ou visita os espaços naturais onde vivem as flores silvestres. As cores primaveris da serra dos Candeeiros ou do Barrocal algarvio (para citar apenas dois exemplos paradigmáticos) podem, na sua exuberância sem artifícios, servir de inspiração ao mais exigente dos jardineiros. Mesmo que a natureza não caiba toda entre os muros de um jardim, podemos ensaiar uma boa imitação, cultivando no nosso terreno as plantas da flora portuguesa com maior aptidão ornamental. Pois é sem dúvida bem mais gratificante termos um jardim que nos recorde os passeios pela serra do que uma coisa postiça preenchida com as novidades holandeses do garden center.

Para nos facilitar a vida, já que de facto as plantas portuguesas não estão à venda em hortos, o projecto Sementes de Portugal preparou um óptimo catálogo de sementes para venda. Só de sargaços e roselhas (como a da foto aí em baixo) já dá para compor um canteiro invejável. Mas a Crix e o João Gomes chegam ao requinte de disponibilizar sementes de plantas raras como a Aristolochia baetica, Cynara algarbiensis, Echinops strigosus, Iberis procumbens, Matthiola sinuata e Phlomis purpurea. A somar a tudo isto, lançaram um blogue que é já de consulta obrigatória para quem se interesse pela nossa flora espontânea.

De que está o leitor à espera para se fazer cliente?


Cistus crispus L.

3 comentários :

Rafael Carvalho disse...

Também a mim me parece ser uma excelente ideia!
Cumprimentos.

Francisco Clamote disse...

Sem dúvida, uma excelente iniciativa. Oxalá, tenha sucesso.

bea disse...

Pois...não sei. O facto é que essas plantas espontâneas não se dão assim tão espontâneamente no meu quintal:)
Creio eu que queiram ser espontâneas por inteiro e me torçam os projectos por tal razão, não nascem ou singram onde eu as quero mas onde elas desejam. E está visto que terei de respeitar.

Na verdade já trouxe vários rosmaninhos que teimam em morrer; três ou quatro dessas da foto que não se aguentam. E mais umas que colho em passeios primaveris e dizem sempre que não. As tontas.