14.1.14

Bela-luz



Thymus mastichina L.

Os tomilhos, como o dos temperos (Thymus vulgaris), são plantas perenes de folhas muito aromáticas, o que ajuda a reconhecê-los até quando cozinhados. Não que seja hoje frequente vê-los a temperar carnes ou molhos: as ervas aromáticas, condimentos que apuram o sabor e permitem poupar sal, têm-se reduzido a mero enfeite - como no tradicional, e outrora delicioso, arroz-de-carqueja em que, agora, esta só é apresentada ao arroz quando ele está pronto a ser servido - ou a um motivo para encarecer as refeições se preparadas por cozinheiros que ainda as sabem utilizar. Há quem pague por esse regalo, mas, sendo o tomilho pouco exigente em mimos e preferindo terrenos secos e soalheiros, cada um de nós pode tê-lo à mão num vaso para colher umas folhinhas sempre que apropriadas ao repasto.

Não é, porém, o tomilho de fama culinária que hoje está na montra. Na Península Ibérica há quase quarenta espécies de Thymus, alguns endémicos, cabendo a Portugal uma honrosa quota-parte: há registo nacional de onze dessas espécies, e três desses endemismos de facto só ocorrem no sul do nosso país. Se juntarmos os híbridos, chegaremos à centena, nem todos fáceis de destrinçar. Mas o Thymus mastichina, popularmente conhecido por sal-puro, só se confunde com o T. albicans, ou tomilho-alvadio, e apenas quando algum deles não está em flor. É que, apesar de ambos terem inflorescências que parecem bolas de algodão espetadas em palitos, como algumas guloseimas infantis, as flores do primeiro têm cálices com dentes maiores, como podem notar nesta ampliação.

O T. mastichina é um endemismo peninsular do qual, segundo a Flora Ibérica, se distinguem duas subespécies: uma que tem os capítulos florais menores e de que só se conhecem populações no sudoeste da Península (T. mastichina subsp. donyanae); e outra, a típica, de distribuição ampla na Península Ibérica (T. mastichina subsp. mastichina, a das fotos), que neste momento está a hibernar, com folhas mais pequenas e densamente penugentas, que lhe dão um aspecto acinzentado; na Primavera, porém, voltará a ser erva glabra e verdinha.

6 comentários :

bea disse...

Nunca vi uma plantinha tão bonita e penugenta.Terei de plantar tomilho num vaso, que só o conheço em folhinhas de frasco, mortinho da silva.

Lux disse...

belissimo blog. Estou viajando nas postagens. Parabéns pelo trabalho tao dedicado de vcs. agradecida.

Ana Paula Sousa disse...


No que me diz respeito, o chá de tomilho Bela Luz é uma solução fantástica para acabar com a tosse seca. Inicialmente tinham-me aconselhado a adicionar gengibre ao chá de tomilho luz mas da última vez que estive com tosse não tinha gengibre à mão e o tomilho luz foi o suficiente para aliviar quase de imediato os meus ataques de tosse .Recomendo vivamente!

Anónimo disse...

boa tarde onde posso arranjar semente de tomilho bela luz?

Patrícia disse...

Olá, Encontrei este artigo quando procurava por tomilho para culinária. De facto, tenho uma planta destas num vaso que apanhei no campo... Aqui chamam "Amor de Deus" e tem realmente um aroma muito parecido com o tomilho que plantei para a culinária. Sabe-me dizer se este apanhado no campo também pode ser usado na culinária?

Abraços

Maria Carvalho disse...

Sim, o tomilho desta espécie que se apanha no campo também se pode comer (como tempero) e beber (em chá, como sabiamente indica a Ana Paula Sousa).