5.6.12

Alho áureo



Allium scorzonerifolium DC.

Os alhos são herbáceas perenes, com bolbos aromáticos e amplas virtudes medicinais, que associamos ao mês de Junho por haver várias espécies ibéricas que escolhem o fim da Primavera para florir. Estes exemplares são de um talude pedregoso, coberto por uma nuvem inamovível, na serra do Marão e, o das últimas fotos, de um prado perto dos calcários negros de Campanhó. O alho dourado também ocorre na serra da Estrela, até em bermas de estrada, mas no passado fim de semana ainda não estava em flor. Os inúmeros pés que encontrámos há um ano, num prado junto a um amial de Castro Laboreiro, pareceram-nos então dispostos a substituir todas as flores por bolbilhos.

Apreciador de solos húmidos e fendas de fragas, o Allium scorzonerifolium é nativo do norte de Marrocos e do noroeste da Península Ibérica. Em Espanha há ainda registo de um outro alho com tépalas amarelas e perianto estrelado, o A. moly, de ecologia um pouco diferente, inflorescências com mais flores e folhas mais largas. Mas as plantas, com um figurino a que têm de obedecer como todos nós, ousam variar quanto baste para que esta lista de características de pouco sirva. É pelo ovário que os botânicos destrinçam o A. moly, o suspiro-do-sol, do A. scorzonerifolium, o alho-amarelo. A crer nas várias Floras, o primeiro não ocorre por cá, ou teríamos de colher amostras de plantas para termos certeza da identificação. Alternativa menos cruel é fiarmo-nos noutra diferença, esta externa e de natureza matemática: a secção transversal do talo do A. moly é circular, sendo elíptica, mesmo um pouco angulosa, a do A. scorzonerifolium.

5 comentários :

Miguel disse...

Como sempre, mui interessante a entrada.
Apenas um comentário: é o A. moly o que tem, em termos gerais, as folhas mais largas.

Por certo, acho que a tendência do A. scorozonerifolium e mais bem acidófila é a do A. moly mais bem calcícola, assim que são interessantes esses indivíduos dos calcários de Campanhó.

Maria Carvalho disse...

Obrigada pelo seu reparo, é sempre bem-vindo; o texto já está corrigido. Nós nunca vimos o A. moly e confiámos numa afirmação (incorrecta) da Flora Ibérica, ainda em rascunho. Contudo, nas fotos que o Anthos mostra do A. moly, as folhas têm uma largura que é mais do dobro da das plantas que vimos no Marão.

Miguel disse...

Olá de novo. Obrigado a vós, polo blogue. :-)

Possivelmente, o engano esteja num "falso amigo" entre o castelhano e o nosso idioma galego-português.
Flora Iberica diz "Aunque las hojas de A. scorzonerifolium son algo más largas que las de A. moly."
Largo, em castelhano, significa longo, comprido. Não sei se isto teria algo a ver.

Maria Carvalho disse...

Tem razão, a origem do engano está na minha leitura defeituosa do castelhano. Grata pela sua ajuda,
Maria

sougus disse...

Boa tarde

Compre Allium moly, mas a saca não tem as datas de plantação. Confiei que encontraria por aqui na net...mas tempo (pelo menos para mim) perdido.

Até que vi o vosso blogue...a minha última esperança.

Assim vinha solicitar o favor de me informarem se esta será a melhor altura para a sua plantação.

Grato desde já pela melhor atenção que vos possa merecer este meu pedido.