10.6.13

A marca do ouro


Lamarckia aurea (L.) Moench.

Em taxonomia botânica não é raro haver uma evidente discrepância entre o homenageado e a planta cujo nome lhe prestaria homenagem. Lineu, sensível à carga simbólica de um nome e à necessidade de procurar a proporção justa, costumava baptizar as plantas mais insignificantes ou inúteis com o nome daqueles que tinha em fraca conta. No extremo oposto da escala, o botânico inglês John Lindley (1799-1865) não teve dúvidas em dar o nome do Duque de Wellington, vencedor de Napoleão, à mais portentosa árvore à face da Terra, a californiana sequóia-gigante. (Para desgosto dos ingleses e júbilo dos americanos, o nome genérico Wellingtonia era porém inválido, por ter sido anteriormente usado para designar uma pequena árvore asiática.) O caso desta gramínea deixa-nos algo confundidos. É uma planta anual, de uns 30 cm de altura, com uma inflorescência em panícula unilateral que começa por ser verde e depois adquire um atraente tom dourado. É uma boa escolha para jardins xerófilos mediterrânicos, onde até pode aparecer sem ser convidada. Em Portugal distribui-se sobretudo pelo centro e sul do continente, com entrepostos na bacia do Douro superior e no arquipélago da Madeira. Será esta planta homenagem adequada a Jean-Baptiste Lamarck (1744–1829), um dos maiores naturalistas de sempre, botânico de mérito, zoólogo eminente, precursor de Darwin? Contudo, ela não está sozinha na tarefa de perpetuar o nome ilustre, pois além de meia dúzia de plantas com o epíteto lamarckii (entre elas uma vistosa rosácea, Amelanchier lamarckii, e um mangue híbrido, Rhizophora × lamarckii), muitas criaturas marinhas, sobretudo moluscos e celenterados, foram agraciadas com algum dos nomes Lamarckina, Lamarckdromia, lamarckii or lamarckiana.


vale da ribeira do Mosteiro, Poiares, Freixo de Espada à Cinta

5 comentários :

bea disse...

O vale da ribeira do mosteiro é que me parece grandioso.
depois de ter dito nada, vou ali provar que não sou um robot.
Boa semana

ZG disse...

Uma belíssima gramínea, sem dúvida uma homenagem à altura do grande Lamarck!

Rúben Boas disse...

Que sítio selvagem! Adorei.

ZG disse...

Um local belíssimo, sem dúvida!!

Rui Soares disse...

Fantástico! :D