23.3.06

Moda Primavera-Verão



As flores da Magnolia x soulangeana, parisiense criada por Soulange-Bodin em 1820, poderão ter inspirado a moda juvenil das camisolas de duas cores, direito e avesso, como se fossem duas numa só, e os penteados com nuances. Filha da chinesa Magnolia denudata e da sino-japónica Magnolia liliflora, herdou desta a surpreendente dupla cor das flores - rubras no exterior, brancas por dentro - e o seu formato em cálice; da M. denudata recebeu a forma arredondada das tépalas e o perfume. Da mistura, as flores ganharam laivos de carmim em fundo rosé.

Étienne Soulange-Bodin (1774-1846), agrónomo, ex-soldado de Napoleão e sobrevivente da batalha de Waterloo, fundou o Instituto (e a Sociedade) de Horticultura de Paris, onde o seu híbrido floriu pela primeira vez em 1827, e organizou a primeira exposição de flores no Louvre em 1832.

Pierre Magnol (1638-1715), que deu nome ao género, foi naturalista francês, docente em Montpelier.

11 comentários :

Eduardo disse...

No Jardim Botânico de Coimbra há pelo menos duas variedades de M. soulangiana, cujo nome eu evidentmente não recordo. A diferença mais evidente entre elas está na cor das flores, que numa é mais escura e avermelhada que na outra. Ambas cheiram magnificamente.

Manuela disse...

Essas só as conheço daqui !

Eduardo disse...

Exacto! É uma delas, mas todo aquele lado do quadrado central está arborizado com magnólias. Eu vou ver se consigo lá passar hoje, mesmo com chuva, para ver a informação disponível...

Eduardo disse...

Ora bem.

A da Carla de Welsinore é uma M. soulangiana var. speciosa rehd. Na mesma "zona" há uma M. x soulangiana var. speciosa (hortícola). As diferenças entre as duas escapam aos meus olhos afundados nas trevas da escuridão. Na extremidade oeste do quadrado central, há uma M. x soulangiana var. lenni, a tal que eu dizia ter a parte exterior das pétalas com uma cor mais forte. Para além desta, há uma M. liliflora var. nigra, cujas flores têm uma cor indescritível (fuchsia escuro fará algum sentido?), uma M. denudata, uma M. acuminata (gigantesca) e várias não identificadas, incluindo uma que dá flores brancas e uma espécie de vagens pretas. Creio que é esta que, lá mais para o Verão, há-de dar uma espécie de bagas vermelhas, ou coisa que o valha.

Eduardo disse...

onde está "trevas da escuridão" deve ler-se "trevas da ignorância".

Paulo Araújo disse...

Estão agora todas em flor? Há fotos dessas maravilhas?

Eduardo disse...

Sim, todas, embora não completamente simultâneas. As soulangianas speciosa estão agora a acabar, tendo-se o espectáculo transferido para o chão, que está coberto de pétalas bicolores. A denudata e a outra de flores brancas estão no meio-fim do espectáculo. A soulangiana var. lenni e a liliflora var. nigra estão a começar. Tenho algumas fotos, que talvez não sejam muito esclarecedoras, mas que terei todo gosto em mandar mais tarde. É que não as tenho aqui, no local de trabalho...

Eduardo disse...

Já agora, e para quando passarem por Coimbra num outro Fevereiro, uma visitinha ao Jardim da AAC também é uma boa ideia, entre outras razões, pelas 4 magnólias de flor branca (creio que são M. denudata, pelo menos é o que corre por aí há boca pequena), todas com idade para terem juizo e 3 delas encostadas umas às outras. A floração do ano passado, provavelmente devido ao Inverno atípico, foi coisa para provocar faltas de ar. A dste ano já foi mais normal, mas ainda assim muito jeitosa.

zazie disse...

lindas! tenho uma igual e mais 2 brancas e uma cor de coral.
e este blogue é a coisa mais bonita que se podia imaginar

zazie disse...

só me falta a magnólia carocha. A que cheira a banana e existe uma no jardim botânico do Funchal, Mas são difíceis de pegar

Maria Carvalho disse...

Magnólia carocha? Será a Michelia figo, o arbusto bananeiro que dá flores pequeninas que cheiram a banana, como as daqui

http://dias-com-arvores.blogspot.com/2005/05/port-wine-magnolia.html

?