12.12.04

Antologia do Porto



Fotos: pva 0410/0412 - camélias no Porto

Somos folhas breves onde dormem
aves de sombra e solidão.
Somos só folhas e o seu rumor.
Inseguros, incapazes de ser flor,
até a brisa nos perturba e faz tremer.
Por isso a cada gesto que fazemos
cada ave se transforma noutro ser.

Eugénio de Andrade, As mãos e os frutos (1948)

2 comentários :

Anónimo disse...

Muito bonito. Votos de bom fim de semana. Octávio Lima (ondas.blogs.sapo.pt)

sandra costa disse...

Líndissimo post... As camélias e Eugénio. Vou comovida.