6.8.05

Memórias em flor


Foto: pva 0505 - Solanum rantonnetii

«Nossos avós sentimentais associavam seus prazeres e seus pesares à imagem de uma folha ou de uma flor: abrimos por acaso algum livro antigamente lido e amado, e o vento leva de dentro dele velhos amores-perfeitos reduzidos a uma seda tão seca e tão leve; folhas de roseira finamente distendidas; violetas que são apenas uma cinza ainda imobilizada...

Oh, os nossos avós deixaram seus amores entrelaçados em monogramas pelos troncos de outrora; e ainda hoje há grandes árvores admiradas da mão que lhes vai gravando coração, flechas, iniciais, com uma suave preserverança - e os jardins ficam de braços tatuados, com o sopro da tarde secando suas poéticas feridas...»

Cecília Meireles, Nossas irmãs, as plantas - Obra em prosa (in A manhã, 1945)

2 comentários :

Menina_marota disse...

Teria que ler hoje, como muitas vezes faço... Cecília Meireles...
uma das minhas preferidas...
Grata pela partilha
Bom fim de semna :)

Maria do Ceu disse...

Tanta beleza natural encontro aqui! Bem hajam e continuem com este vosso trabalho, Maria do Céu Costa.