17.3.06

(sem título)

.
Não regressarei à terra
como uma folha que cai.
Condição de ser a hera
que no meu tronco se enlaça
sou a nascente da água
que me leva quando passa.

Não sou poeira que o vento
arrasta até encontrar
a florescência da flor.
Origem morte existência
sou a própria florescência
incontinente na flor.
Natália Correia (1955)
Poesia Completa. O Sol nas noites e o Luar nos Dias (Lisboa: Dom Quixote, 1999)

3 comentários :

Anónimo disse...

Um momento de poesia e beleza que quase dói. Mais uma lágrima da terra com transparências de céu.
Lindo... EP

António disse...

Porque afinal...
A vida é...
nunca perder a capacidade de admirarmo-nos com a beleza.

Australopithecus XXI disse...

A foto transmite tudo.
Belíssima.