13.9.07

Porto


Aquilegia sp. (Columbina)

O Porto é só a pequena praça onde há tantos anos aprendo metodicamente a ser árvore, aproximando-me assim cada vez mais da restolhada matinal dos pardais, esses velhacos que, por muito que se afastem, regressam sempre à minha vida.

Desentendido da cidade, olho na palma da mão os resíduos da juventude, e dessa paixão sem regra deixarei que uma pétala pouse aqui, por ser de cal.

Eugénio de Andrade, Vertentes do Olhar (1987)

2 comentários :

bettips disse...

Todas as palavras, a transparência quase, delas e da flor. Muito bela a lembrança dele. Abç

goldluc disse...

..E eu, alentejano migrante, com o Porto aqui tão perto! E, sem qualquer menosprezo pela dita e excelsa instituição (antes pelo contrário), o Porto belo, para ver com olhos infinitos, não é só Serralves...
Abraço!!