22.4.16

Filódios & cladódios


Lathyrus ochrus (L.) DC.

O chícharo (Lathyrus sativus) é o mais famoso representante do género, mas estas leguminosas que se enrolam noutras plantas para chegarem mais alto aparecem em muitas cores e feitios, especialmente em áreas de clima mediterrânico, e são um dos sinais mais firmes de que a Primavera já não volta atrás. Não fosse o prestígio de Lineu, seríamos tentados a afirmar que as flores do Lathyrus ochrus são brancas, e não amarelas como indica o epíteto por ele escolhido. Trata-se, em qualquer caso, de um amarelo muito pálido, que precisa de uma boa demão de Photoshop (inexistente à época em que viveu o patriarca da botânica) para se manifestar. Se não se destaca pela cor das flores, este chicharão vale como acepipe para o gado (é ocasionalmente cultivado como forragem) e singulariza-se pelo aspecto peculiar: o caule parece agasalhado pelas folhas, como quem se encolhe dentro da gabardina para se resguardar da intempérie. O exemplar das fotos era ainda jovem; à medida que cresce, esta planta anual liberta-se um pouco do seu ar friorento. Quanto ao agasalho em si, esclareça-se que ele não é formado por folhas normais, mas sim por filódios. Um filódio é uma folha incompleta, reduzida ao pecíolo, que para compensar a falta vai alargando até tomar o aspecto da (inexistente) lâmina foliar. Algo de semelhante se passa com a gilbardeira (Ruscus aculeatus), onde aquilo que nos parece ser uma folha é na verdade outra coisa (chamada cladódio) indevidamente inchada para se disfarçar de folha. Estas minudências taxonómicas não têm porém grande relevância para a vida da planta: desde que sejam verdes, filódios e cladódios cumprem com lealdade, como se fossem folhas, a função fotossintética que lhes é confiada.

Quando a planta está desenvolvida, as folhas superiores do Lathyrus ochrus, embora ainda apresentem os pecíolos intumescidos, dispõem já de um ou dois pares de folíolos (foto). Todas as folhas, completas ou reduzidas, são rematadas por gavinhas sempre à espreita de um pau para se agarrarem. Florescendo entre Março e Junho, com flores solitárias ou (raramente) aos pares, e com caules muito ramificados capazes de atingir 1,5 m de comprimento, o Lathyrus ochrus distribui-se por toda a Europa mediterrânica e pelo norte de África (Marrocos, Argélia e Tunísia); nativo de Portugal continental, está naturalizado nos Açores (ilhas de São Miguel e Santa Maria) e na Madeira.

3 comentários :

bea disse...

Embora sejam acepipe para o gado são interessantes na sua determinação de estou fechado e não abro para ninguém. Porque, mesmo quando abrem, não abrem, aligeiram o fechamento.

Francisco Clamote disse...

Sempre a aprender consigo, Paulo. Grato.

Paulo Araújo disse...

Obrigado pela gentileza, Francisco.