24.2.05

Nas margens do Vez


Foto: pva 0502 - Arcos de Valdevez

Será que o castanheiro, fotografado no remanso do passado domingo, se lembrava de outros invernos como este, com o pó suspenso no ar arranhando a garganta seca? Talvez as suas ramadas se erguessem a pedir chuva, mas sem o dramatismo das árvores de Florbela Espanca: afinal estamos no verde Minho, a uma dezena de metros do caudaloso rio Vez. Talvez recordasse o tempo em que a sua Quinta do Requeijo (Arcos de Valdevez) ostentava um palacete enfaticamente minhoto ainda não tocado pelo abandono. Entretanto chegou a chuva que lhe há-de renovar a seiva e a vida; uma vida de árvore entre ruínas e mato rasteiro, preferível à morte quase certa que lhe traria o habitual receituário das empreitadas à portuguesa.

(Havia no mesmo local uma das maiores magnólias do país, mencionada por Ernesto Goes, que obras desde então interrompidas não hesitaram em sacrificar; e grande parte da quinta foi há poucos anos terraplenada para se construir um complexo de piscinas, rodeado por um vasto parque de estacionamento pontuado aqui e ali por árvores enfezadas.)

1 comentário :

L. disse...

Deram-se conta que o Dias com Árvores foi hoje recomendado no canal 8 (RTP-N) num programa de âmbito ecológico?
Parabéns, bem o merecem.