30.11.07

Amour en cage



Physalis alkekengi

Criar um fruto de uma flor é tarefa árdua, que exige enorme esforço à planta para que não se engane em nenhuma etapa da receita. Mas há as que conhecem processo económico de produzir frutos apetecíveis a partir de flores miudinhas. No género Physalis (do grego phusáo, insuflar), a flor minúscula tem cinco sépalas nervuradas que, terminada a polinização, crescem e se unem para formar um cálice inchado com textura de papel; que de seguida se fecha e se acende. Dentro desta lanterna, cinco pétalas formam uma corola em sino que segura uma baga lisa, redonda como um tomatinho, carnuda e comestível. Quando a cápsula adquire uma aparência rendilhada, e já permite ver o fruto, o consumidor sabe que se pode servir.

Este género, com cerca de 80 espécies, prefere regiões temperadas ou quentes, sendo a espécie das fotos espontânea no sul da Europa. A espécie mais consumida é a P. peruviana (que é nativa da América do Sul e não apenas do Peru), de que o primeiro produtor mundial é a Colômbia. Tem flores amarelas com base roxa, a casca que guarda o fruto é bege e a polpa é doce e muito aromática, deliciosa se imersa em chocolate; é também o ingrediente do «doce de capuchos» açoreano, a melhor compota que conheço e que é, infelizmente, rara nas lojas do continente. A P. philadelphica produz frutos mais ácidos que são transformados em molho picante, o famoso tomatillo da culinária mexicana.

12 comentários :

lucia h f moura disse...

Olá, Maria
Interessante descoberta para mim. Acabo de verificar no site da Rede do Cerrado que temos uma espécie do gênero Physalis por aqui: P. angulata. Vou pesquisar com urgência, e divulgar este amour en cage desconhecido aqui, quem sabe estamos perdendo deliciosas compotas.
Um abraço

Filipe disse...

A Physalis alkekengi da fotografia é muito cultivada para fins ornamentais, pela sua flor, muito presente em arranjos florais na Holanda. Mas o fruto desta espécie é considerado tóxico, não mortal mas cria problemas instestinais.
Obrigado pela referência

Maria Carvalho disse...

Segundo o livro The Botanical Garden (vol. I), de Roger Phillips e Martyn Rix, a baga de Physalis alkekengi é comestível (com sabor agridoce), o balão cor-de-laranja é que é tóxico. Esta informação é partilhada por outros autores, mas temos mais confiança nestes.

Os frutos da Physalis angulata são mais ácidos que os da P. peruviana, mas igualmente bons para sumos, sorvetes e compotas. Haja apetite.

Filipe disse...

O fruto é comestível se estiver bem maduro. A minha chamada de atenção é se alguém quiser cultivar o physalis escolher outra espécie que não esta, principalmente se houver crianças curiosas por perto.
Dentro dos physalis, esta espécie é a mais chamativa, pela coloração do cálice, encontrando-se sementes comerciais à venda. Por outro lado é a que comporta mais riscos.

Maria Carvalho disse...

Tem razão, Filipe, obrigada pelo reparo. Esta planta está na horta do Palácio de Cristal sem aviso do risco, e, como diz, estes balões coloridos não passam despercebidos às crianças. E, se em vez desta espécie lá estivesse a P. peruviana, pouparíamos a viagem aos Açores para comprar o doce de capuchos.

Maria Carvalho disse...

Caro Anónimo: Obrigada pela correcção do acento.

joana disse...

Essa da compota, não sabia. Há cerca de três anos cresceu espontaneamente um planta de Physalis num terreno que temos lá para os lados do Ribatejo. Já provei os seus frutos e quando estão maduros são uma delícia. Suponho que seja Physalis Peruviana. Vou estar atenta e tentar fazer a tal compota.
Obrigada pelo post

Maria Carvalho disse...

Joana: Cá estaremos para a apoiar na sua aventura culinária; oferecemo-nos para o enorme sacrifício de provar a sua compota de capuchos.

joana disse...

combinado!

lbentomanso disse...

ola malta alguém estaria na disposição de me fornecer algumas sementinhas desta espécie, já procurei e não encontro à venda obrigado malta.
contactem-me para:
lbentomanso@gmail.com

BABY disse...

GOSTARIA DE DETALHES DE COMO CUIDAR DO MEU FISALIS NO VASO COMO COMPOR A TERRA E ADUBAGEM

Unknown disse...

gostaria de saber se a physalis pode usar as fohlas para faser cha a que eu tenho e a que os frutos e laranjado quando maduros