22.4.08

Noite da Terra

Nunca estivemos no vale do Tua à noite. Imaginamos que o silêncio que ouvimos lá de dia, enrugado por conversas de passarinhos, se ri, nessas horas longas, do rio arrepiado e galopa com ele a contar estrelas num céu de ardósia. Nas margens, a terra descansa perfumada pelos jacintos-das-searas que lembram candelabros de palácio a convocar fantasmas de histórias de embalar.


Muscari comosum

As inflorescências desta planta que aprecia solos cultivados, sobretudo olivais, são encimadas por um tufo (comosum) vistoso de flores globosas, azuis-violeta e estéreis, que atraem as abelhas para o perfume almiscarado e os potes de néctar das flores tubulares castanhas situadas mais abaixo na ráquis. Neste eixo com cerca de 30 cm, os sinos, com brácteas minúsculas e corolas de seis dentinhos, dobram em sequência a partir da base.

Os bolbos, cebolinhos-de-flor-azul, são apreciados na culinária grega. A que saberão?

7 comentários :

Paulo disse...

Este azul é dos mais bonitos que nos têm mostrado.

Lucia disse...

Que lindas

gintoino disse...

São muito bonitos. Este ano vou tentar semeá-los para os utilizar no jardim

Maria Carvalho disse...

gintoino: Prepare a plantação que nós encarregamo-nos de estudar as receitas gregas. Se preferir, experimentamos umas troianas.

Paulo, Lucia : Neste vale não vimos cantinho de terra descolorido - e como combina bem este azul com o amarelo da giesta e o roxo da lavanda. Estas cores só não ficam bem dentro de um aquário, onde desbotam; seria o modo de arruinar o esforço da natureza, que selecciona rubores e matizes variados para evitar a monotonia e nos alegrar.

Isabel disse...

Fico indecisa... não sei se é a prosa que mais me encanta ou as flores...

Maria Carvalho disse...

Isabel: Para floreados, bem arrebicados, estamos nós sempre prontos. Florir, que é difícil, não sabemos: é tarefa de outro departamento, vedado mesmo aos mais ágeis no dizer. Por isso, se se encantar com as meninas das fotos, vai melhor servida.

Paulo disse...

As meninas das fotos não seriam as mesmas sem a poesia que se lhes inventa. Olhando para elas (flores e fotos), vemos como pedem as palavras certas.