19.6.09

Anémona suicida


Anemone trifolia subsp. albida (Mariz) Ulbr.

Terá sido por chegarmos tarde? Ensinam os manuais que esta espécie de anémona (uma das três que são espontâneas em Portugal, e aquela que tem distribuição global mais restrita, ficando-se pelo noroeste do país e fazendo curta incursão à Galiza) floresce de Fevereiro a Abril, e já Março era maduro quando a detectámos, solitária, no acesso a uma clareira entre carvalhos e eucaliptos. E se tiver sido ela a última da sua espécie em toda a serra de Valongo? Suicídio glorioso este, para o qual se preparou tingindo de azul-marinho a flor que deveria ter sido branca, e pondo-se de plantão no local onde se concentram, para combinar percursos e ensaiar derrapagens, os motoqueiros de fim-de-semana que infestam a serra. Eia, eia, diz ela em tom de desafio, enquanto espera a primeira de muitas rodas que irão triturá-la, não é a toa que me chamam erva-sanguinária. Mesmo que seja dela e verde o sangue a derramar.

2 comentários :

Carlos M. Silva disse...

Olá Paulo e Maria

Lembrei vir aqui ..depois de ir ao Flora On ..por que conhecendo-a de Caminha/S.d'Arga e de mais um ou dois sítios, descobri-a 'perto da v/ porta'! Estava em flor este sábado; onde? no único (acho ser o único) 'monteco' de Eucaliptos,Pinheiros,Sobreiros que terão deixado intacto aquando da terraplanagem do Parque Oriental do Porto onde fui ver se as 4 larvas da 'Borboleta do Medronheiro' que havia visto já haviam pupado!

Abraço
Carlos M. Silva

Paulo Araújo disse...

Olá, Carlos.

Grande notícia essa. A regra nos parques da cidade que as autarquias construíram um pouco por todo o lado foi substituir o que havia de natural (ainda que degradado) por relvados & árvores de viveiro com pouca graça. Daí que a nossa vegetação autóctone não costume morar por tais bandas. A anémona tem a força de uma sobrevivente.

Abraço,
Paulo