29.8.12

Erva dos trapos




Senecio jacobaea L.

Nomes vulgares: tasneira, erva-de-São-Tiago; em inglês, ragwort
Ecologia: terrenos baldios ou cultivados mais ou menos soalheiros, bermas de caminhos
Distribuição global: nativa da Europa e da Ásia, naturalizada e invasora nas Américas, no norte de África e na Oceânia
Distribuição em Portugal: praticamente todo o território continental
Época de floração: Julho-Agosto
Data e local das fotos: 2 de Agosto de 2012, Alfena, Valongo
Informações adicionais: uma das plantas mais comuns e disseminadas da flora europeia, a tasneira exibe uma floração abundante e vistosa, e é muito procurada por insectos; pode, contudo, comportar-se como infestante de campos agrícolas, e é indesejável em pastagens por ser venenosa para o gado

5 comentários :

Carlos M. Silva disse...

Olá
Comento aqui neste já que de amarelo também tem muito, como alguns posts anteriores.
Como com quase tudo e todas as plantas,não sei a distribuição desta mas pelo que é indicado como local das fotos,já a devia ter visto ..por cá,em sentido lato;mas não.Foi em busca,qual insecto ansioso de colher veneno para se defender que à já 3 semanas,bati à porta de perto de mais de meia centena em busca de uma larva de traça muito bela, Tyria jacobeae;e só uma meu olhar tocou!E foi para os lados de Montalegre. Por cá (ia dizer Litoral Norte mas Valongo também o é!) efectivamente nunca a vi.Certamente épocas trocadas entre mim e esta flor amarela!
Abraços
Carlos M. Silva

Paulo Araújo disse...

Olá Carlos.

Talvez a tasneira não seja assim tão comum aqui no norte. Não a vejo assim tantas vezes, mas pode ser por o período de floração ser curto - este ano já terá terminado. Ainda assim, se quiseres tentar a tua sorte, podes dar uma saltadinha a Alfena, ao mesmo terreno baldio onde as fotos foram tiradas, e onde havia muitas plantas. Se não vires a larva da Tyria jacobeae, talvez ainda seja possível ver a borboleta. Espetei um alfinete no local exacto (Google Maps).

Abraço

Carlos M. Silva disse...

Olá Paulo
E obrigado;acho que posso tentar lá ir para estoirar o resto das férias!
Sei que Alfena está a 2 passos e sabia que é/foi onde vós já descobriram algumas preciosidades; mas por vezes 2 passos ..parece ser um grande passo ..para alguém que parece desdenhar do que é (quase) vizinho! Coisas! É como com os museus do burgo!
NOTA para vós (se útil) e não há problema em dizê-lo aqui: se na Srª das Neves vi em 2008 (creio) um único exemplar da Succisa pinitifida (em Nov.,creio), enquanto que a outra única vez, em Esposende foi em Ago.), ao lado da dita Srª,num caminho a que nem as moto4 vão por que com troncos queimados caídos, vi 5 espécimes! Bela visão!
E acho que não me equivoco já que a S. pratensis vi-a recentemente mas em Montalegre!
Abraços e obrigado.
Carlos M. Silva

Carlos M. Silva disse...

Olá
Sim, sim, fui ao local por vós indicado, logo no fim de semana seguinte.
Não vi a traça Tyria jacoabeae nem tinha grande esperança de a ver mas vi outras coisas interessantes, incluindo o Senecio jacoabeae,que normalmente os lugares abandonados têm,desde a Lobelia urens, um outro Senecio?, e sim algumas borboletas e traças,até para tirar dúvidas sobre fotos anteriores dos mesmo espécimes.Valeu a pena.
Obrigado.
Carlos M. Silva

Paulo Araújo disse...

Obrigado pelas notícias. A Lobelia urens é sempre interessante. Nós já a tínhamos visto em Alfena, mas só um exemplar e não nesse local.
Abraço