3.11.04

Estorninhos nos lódãos

.

fotos: mdlr 0411
Afinal a chuva não os demoveu e cá continuam eles banqueteando-se com as "ginjinhas de rua"!Tem sido assim desde há uma semana (como acontece todos os anos): uma autêntica roda viva entre os lódãos (Celtis australis) de Ramalde e os exteriores aos muros de Serralves. Um verdadeiro espectáculo! Até me admira que as pessoas não tragam as suas cadeiras e se postem de atalaia, nariz no ar, a observar a exuberância destes pássaros.
"São estorninhos!" Dizem alguns passantes mais sabedores. Aos que nada dizem e me olham com ar desconfiado, eu pergunto sorridente: "Viram os estorninhos? Estão a comer os frutinhos dos lódãos!". E aponto para o chão pejado de bolinhas pretas, mais pequeninas que azeitonas. (Já provaram? São docinhas mas estão a ficar um pouco passadas.)

Estorninho-malhado (Sturnus vulgaris) com drupa de lódão-bastardo (Celtis australis) no bico.
.

1 comentário :

Paulo Araújo disse...

Eu nunca provei os frutinhos do lodão, mas se calhar quem tem razão em não os desdenhar são os estorninhos. Já agora, o nome inglês das árvores do género Celtis é "hackberry", e os americanos até preparam uma bebida a que chamam "hacberry wine". E este texto sugere um bom passatempo a quem, indo a Serralves ver a exposição de Paula Rego, é confrontado com uma desencorajadora bicha: não entre, e fique a observar os estorninhos nos lodãos da Rua D. João de Castro.