12.12.05

Na rota das japoneiras


Foto: pva 0512 - Camellia japonica no Prado do Repouso, Porto

Os cemitérios portugueses são, em regra, quase despidos de vegetação, e por isso talvez surpreenda saber que algumas das maiores japoneiras do Porto (e do país) estão no Prado do Repouso e em Agramonte; mas, inaugurados que foram estes cemitérios públicos do Porto em meados do século das camélias (o do Prado do Repouso em 1839, o de Agramonte em 1855), mais seria de espantar a sua ausência do que a sua afinal normalíssima presença; o que enche o olho é o tamanho que elas lograram atingir em século e meio. Dos dois cemitérios, é o do Prado do Repouso que tem as japoneiras de maior porte (como a da foto, que até nem é das maiores); em compensação, o de Agramonte tem-nas em maior número, formando extensas alamedas.

2 comentários :

POS disse...

Arrepia questionar os porquês da fertilidade do solo, mas, afinal, é a natureza que se cumpre...

Paulo Araújo disse...

Ashes to ashes, dust to dust, já cantava o David Bowie (e antes dele, suponho, alguém disse o mesmo na Bíblia). Ser árvore sempre é um destino mais interessante.