3.6.06

Aromas de África



A Dodonaea viscosa é um arbusto vistoso da família Sapindaceae, mas só há poucos dias reparámos na existência de um exemplar nos jardins do Palácio de Cristal. É de folha perene, alternada, de bordo levemente ondulado e muito pefumada. As flores são minúsculas e escuras, quase não se distinguindo da folhagem. Mas as sâmaras em arranjos pendulares, com textura de papel, cor carmim e formato de maçã cortada ao meio dão-lhe nesta altura um lugar honroso entre as plantas ornamentais.

Apreciando as zonas semi-áridas ou arenosas, o género Dodonaea é maioritariamente australiano, mas algumas espécies, entre elas a D. viscosa, são endémicas na África do Sul. As folhas e as raízes têm uso medicinal; o arbusto é frequentemente utilizado para consolidar zonas costeiras.

A designação homenageia o naturalista holandês Rembert Dodoens (1517-85) - de nome latinizado Rembertus Dodonaeus - cujo herbário sobre ervas medicinais com cerca de 700 imagens teve inúmeras traduções, sendo no seu tempo um dos livros de botânica mais referidos nos meios científicos.

O maior exemplar que conhecemos de dodonéia, já com cerca de 3 metros de altura, está num prado em declive na pousada de Santa Marinha em Guimarães.

3 comentários :

*Rita disse...

É incrível as coisas que desconheço aqui em Guimarães. O vosso blog está sempre a surpreender-me e a ensinar-me. Continuem a fazer estas descobertas fantásticas!!!
*Rita

Manuel Anastácio disse...

No Brasil, esta espécie é também conhecida como vassoura-vermelha.

Anónimo disse...

Também as há no Parque da cidade (Porto)